ESTADOS DO GOLFO QUEREM QUE A SÍRIA VOLTE À LIGA ÁRABE, EUA ESTÃO CONTRA

  • O presidente da Síria, Bashar al-Assad, recebe seu colega sudanês, Omar al-Bashir, no aeroporto de Damasco, em 16 de dezembro. Fonte SANA.

Estados do Golfo e Egito estão trabalhando para restaurar a adesão da Síria na Liga Árabe em 2019, informou o Guardian em 26 de dezembro citando fontes diplomáticas. As fontes previram que o presidente Bashar al-Assad será recebido em um palco para ficar lado a lado com o príncipe da Arábia Saudita, Mohammed bin Salman e o presidente do Egito, Abdel Fatah al-Sisi, mais uma vez.

Em resposta a esse acontecimento, Washington está supostamente pressionando Riyadh e Cairo a adiar a exigência de um voto dos outros 20 membros da liga.

A adesão da Síria à Liga Árabe foi congelada em novembro de 2011, após o fracasso da iniciativa árabe em parar a guerra no país. Naquela época, muitos observadores locais disseram que o passo foi dado após a pressão dos EUA e dos países ocidentais.



No início deste mês, o presidente do Sudão, Omar al-Bashir, tornou-se o primeiro líder árabe a visitar a Síria e se reunir com Assad desde o início da guerra na Síria. Mais tarde, o chefe do Departamento de Segurança Nacional da Síria, Ali Mamlouk, fez uma visita oficial ao Egito, a convite de Abbas Kamel, diretor da Direção Geral de Inteligência do Egito.

Ambas as visitas foram provavelmente parte dos esforços em curso para restaurar as relações sírias com outros estados regionais. Depois de fracassar em mudar as políticas de Damasco com força, os países árabes podem esperar que fornecer apoio político e econômico ao país, devastado pela guerra, possa afastá-lo de Teerã.

Fonte: South Front

Facebook Comments


Compartilhe
Close