MINISTÉRIO DA DEFESA DA ARGENTINA CONFIRMA COMPRA DE AERONAVES P-3C ORION

Autoridades do Ministério liderado por Luis Petri garantiram que a Argentina cumprirá o contrato de aquisição de quatro aeronaves P-3 Orion.

Autoridades do Ministério da Defesa garantiram que o país cumprirá o contrato assinado com o Governo da Noruega para a compra de 4 aeronaves de exploração P-3 Orion . Na última quinta-feira, no Edifício Libertad, sede da Marinha, o alto comando naval juntamente com o chefe da Unidade de Gabinete de Assessores do Ministério da Defesa, Carlos Becker (tenente-coronel aposentado), o secretário de Assuntos Internacionais de Defesa, Juan Battaleme e o subsecretário do Serviço de Planejamento Operacional e Logística de Defesa, Ricardo González, receberam funcionários da Agência Norueguesa de Materiais de Defesa (NDMA), agência governamental norueguesa que vendeu a aeronave.

A conversa girou em torno da situação económica crítica e da necessidade de prorrogar o pagamento da primeira prestação, cerca de 10 milhões de dólares, que tinha sido acordada antes da mudança de governo. O ministro Luis Petri enviou um sinal político claro aos noruegueses de que o plano de pagamentos será cumprido.

Becker, braço direito do ministro, cortador de todas as cartas na área de defesa e até na Segurança com sua ex-chefe Patrícia Bullrich, secretária Battaleme, o rosto da afirmação do interesse no relacionamento com a Noruega para além da compra da guerra material e por último o logístico González, dono dos números e da carteira do ministério, foram os enviados.

Em retrospectiva, o atraso começou após o resultado da eleição presidencial, apesar de, em 6 de dezembro de 2023, a Economia (Banco Central) ter dado autorização ao Banco de la Nación para o desembolso antecipado de 10 milhões de dólares . A transição interrompeu a transferência e poucos dias após a posse de Javier Milei, a instrução para “rever despesas e contratos de todos os ministérios” interrompeu a operação de pagamento. Os responsáveis ​​da agência de Defesa Norueguesa ouviram as explicações, entenderam que se trata de uma situação fiscal que, segundo os enviados do ministro, será ordenada e poderá ser cumprida com o plano de pagamentos acordado. Não houve prazos nem compromissos: tudo aconteceu com bons ofícios.

A delegação oficial norueguesa deixou claro que “os aviões são para a Aviação Naval da Marinha Argentina”. Uma declaração categórica de que potenciais novos clientes não serão negociados. O contrato de aquisição dos quatro P-3C/N Orion exigiu um investimento de US$ 60 milhões que foi custeado pelo Fundo de Defesa Nacional (Fondef) em parcelas que foram definidas entre 2023 – a primeira de 10 milhões está pausada – e 2025. soma inclui a aeronave, estoque de peças de reposição, ferramentas de manutenção, equipamentos de assistência em solo e documentação. É um lote de 4 dispositivos (três P-3C e um da versão P-3N) Lockheed Martin “Orion” para vigilância e exploração oceânica.

A primeira aeronave P-3C (ex-norueguês 3299) está pronta para ser recebida em Tucson, Arizona.

Fonte: Ambito

Você pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *