AERONAVE ILYUSHIN-76 DA RÚSSIA CAI TRANSPORTANDO PRISIONEIROS DE GUERRA UCRANIANOS

Um avião de transporte militar russo Ilyushin-76 caiu na região sul de Belgorod, perto da Ucrânia.

O Ministério da Defesa da Rússia disse que 65 militares ucranianos capturados estavam no avião que se dirigia para a área para uma troca de prisioneiros.

Posteriormente, a inteligência militar ucraniana divulgou um comunicado acusando a Rússia de colocar em risco a vida de prisioneiros de guerra.

Ele disse que não foi informado de que deveria garantir espaço aéreo seguro sobre Belgorod.

A declaração ucraniana está a ser vista como um reconhecimento tácito de que derrubou o avião.

A agência de notícias Ria Novosti disse que outras nove pessoas estavam no avião, incluindo seis tripulantes.

Um vídeo compartilhado nas redes sociais mostrou um avião caindo seguido de uma explosão e uma bola de fogo perto da vila de Yablonovo, 70 km (44 milhas) a nordeste da cidade de Belgorod, por volta das 11h, horário local (8h). GMT).

O governador regional da região russa de Belgorod, Vyacheslav Gladkov, disse que o avião caiu em um campo perto de uma área residencial e que todos a bordo morreram.

O Estado-Maior da Ucrânia, citado pelo site Ukrainska Pravda, disse inicialmente que o avião transportava mísseis para os sistemas de defesa aérea S-300 da Rússia. Não fez menção aos prisioneiros de guerra.

Nenhum dos detalhes em torno das pessoas a bordo pode ser verificado de forma independente, mas a inteligência militar da Ucrânia pareceu reconhecer que soldados ucranianos cativos podem ter estado a bordo.

Afirmou num comunicado que era responsabilidade da Rússia “garantir a segurança dos nossos defensores ao abrigo dos acordos alcançados”, mas que nesta ocasião não tinha sido informado que o espaço aéreo tinha de ser salvaguardado “no momento definido”. como em inúmeras ocasiões anteriores.

“Isto pode apontar para as ações deliberadas da Rússia destinadas a colocar sob ameaça as vidas e a segurança dos prisioneiros de guerra”, acrescentou.

Gráfico mostrando as características do avião de transporte Ilyushin Il-76MD

Antes da planejada troca de prisioneiros, as autoridades ucranianas disseram que os militares russos capturados foram “entregues no local acordado a tempo de serem trocados e estavam seguros lá”.

O Ministério da Defesa da Rússia disse que a troca aconteceria na tarde de quarta-feira, em um posto de fronteira 100 quilômetros a oeste de Belgorod.

O Ministério da Defesa disse que um avião de transporte militar decolou da base aérea de Chkalovsky, a nordeste de Moscou, a caminho de Belgorod, alegando que a força aérea ucraniana disparou dois mísseis antiaéreos da área de Lyptsi, ao sul da fronteira com a Ucrânia.

O órgão governamental ucraniano responsável pelos prisioneiros de guerra alertou que a Rússia estava “realizando ativamente operações especiais de informação contra a Ucrânia, que visam desestabilizar a sociedade ucraniana”.

Dmytro Lubinets, comissário parlamentar dos direitos humanos da Ucrânia, apelou aos ucranianos para confiarem apenas nas fontes oficiais: “Não se deixem enganar pelas provocações. Informações mais detalhadas serão fornecidas mais tarde.”

Andrei Kartapolov, presidente da comissão parlamentar de defesa da Rússia, afirmou que havia um segundo avião no ar transportando 80 prisioneiros ucranianos, embora esse avião tenha mudado de rumo.

“Agora não se pode falar de qualquer outra troca [de prisioneiros]”, disse Kartapolov à TV russa.

Mapa da Rússia mostrando a localização do acidente e a proximidade da Ucrânia

A Ucrânia e a Rússia participaram em diversas trocas de prisioneiros desde o início da guerra.

A maior troca até agora ocorreu no início deste mês, quando a Ucrânia libertou 248 prisioneiros de guerra russos e a Rússia libertou 230 pessoas, num acordo mediado pelos Emirados Árabes Unidos .

Mais de 8.000 ucranianos, tanto civis como militares, ainda estão detidos pela Rússia, de acordo com a sede de coordenação da Ucrânia para o tratamento de prisioneiros de guerra, que afirma que dezenas de milhares de outros ainda estão desaparecidos.

Um alerta de ataque aéreo nacional foi brevemente colocado em vigor em toda a Ucrânia, logo após o surgimento da notícia da queda do Il-76.

Belgorod, que está localizada a aproximadamente 40 km ao norte da fronteira com a Ucrânia, sofreu dezenas de vítimas devido a ataques aéreos e drones desde o início da guerra na Ucrânia.

Em Dezembro, 25 pessoas morreram e 100 ficaram feridas na sequência de um ataque aéreo – embora a Ucrânia insistisse que apenas a infra-estrutura militar tinha sido alvo e culpasse as defesas aéreas russas pelos fragmentos que caíram sobre a cidade.

A Rússia lançou uma invasão em grande escala da Ucrânia em Fevereiro de 2022 e a guerra continua à medida que se aproxima do seu terceiro ano.

Na semana passada, a Rússia afirmou ter capturado uma aldeia perto da cidade devastada de Bakhmut, na região oriental de Donetsk, na Ucrânia. Kyiv não confirmou a afirmação.

Entretanto, os ataques aéreos russos intensificaram-se nas últimas semanas. Na terça-feira, 18 pessoas morreram e 130 ficaram feridas em ataques com mísseis contra cidades ucranianas.

O ministro da Defesa ucraniano, Rustem Umerov, alertou que, embora as forças ucranianas sofram de escassez de munições, a Rússia usou mais de 600 mísseis e mais de 1.000 drones nos últimos dois meses.

Por seu lado, a Ucrânia luta principalmente com recurso a drones. No fim de semana, um ataque de drone causou uma explosão num importante terminal de exportação de gás perto da cidade de São Petersburgo.

Fonte: BBC

Você pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *