MARINHA INICIA HOJE EXERCÍCIO DE GUERRA DE MINAS

Realizado nas proximidades de Salvador (BA), exercício MINEX-23 incluirá teste inédito de Sistemas Marítimos Não Tripulados

As águas da Baía de Todos-os-Santos recebem, a partir de hoje (23), militares e navios da Marinha do Brasil (MB) para o Exercício MINEX-23, que incluirá o lançamento real de minas marítimas sem cargas explosivas. Participarão do exercício, os Navios-Varredores “Atalaia” e “Araçatuba”, a Corveta “Caboclo” e o Aviso Balizador “Aldebaran”, sediados em Salvador; o Navio-Patrulha Oceânico (NPaOc) “Apa”, proveniente do Rio de Janeiro; embarcações da Capitania dos Portos da Bahia; e, pela primeira vez, Sistemas Marítimos Não Tripulados.

As ações têm como objetivo a preparação das unidades navais subordinados ao Comando do 2o Distrito Naval (Com2oDN), no que se refere às operações de minagem e contramedidas de minagem. Neste ano, serão lançadas pela Corveta “Caboclo” seis minas de fundeio e contato do tipo SH-60E, que serão “varridas” pelos navios-varredores em um exercício de contramedidas de minagem do tipo varredura mecânica dupla.

Navios-varredores são os meios especializados em contramedidas de minagem na MB

“A capacidade de ‘varrer’ as minas é exclusiva dos navios-varredores, que contam com dispositivos capazes de rebocar longos cabos de aço com tesouras próprias e de cortar os cabos-amarras das minas, levando-as até a superfície para posterior desativação por mergulhadores especializados em Desativação de Artefatos Explosivos”, explica o Comandante da Força de Minagem e Varredura, Capitão de Fragata Ricardo do Nascimento Leira.

Nas operações de contramedidas de minagem previstas, serão empregados, ainda, de forma pioneira, sistemas não tripulados nas fases de busca, classificação e identificação. Esses equipamentos permitem o afastamento do homem da área de perigo imposto pelas minas, tornando as operações mais seguras e eficientes.

Na MINEX-23, o NPaOc “Apa” apoiará o exercício como “Navio-Mãe” e base de operações e controle para o Veículo de Superfície Não Tripulado – Laboratorial, desenvolvido pelo Centro de Análises de Sistemas Navais (CASNAV) da MB. Participará, também, o Veículo de Superfície Não Tripulado “SUPPRESSOR X”, desenvolvido pela empresa Tidewise, que possui parceria com a Empresa Gerencial de Projetos Navais (EMGEPRON), empresa pública vinculada ao Ministério da Defesa, por intermédio do Comando da Marinha.

SUPPRESSOR X sendo testado nas proximidades da Capitania dos Portos da Bahia

“Estamos trabalhando no desenvolvimento de um veículo de superfície não tripulado, que é uma tecnologia nova, mas que já está em utilização em diversos países do mundo. E a obtenção desse tipo de conhecimento tecnológico no âmbito da Marinha é muito importante para o País na área militar, mas também no desenvolvimento tecnológico. A utilização do sistema para a atividade militar é bastante benéfica, por conta dos custos e da redução dos riscos operacionais”, explica o Diretor do CASNAV, Capitão de Mar e Guerra Fabio Kenji Arakaki, que está embarcado no NPaOc “Apa”.

Na semana passada, os militares envolvidos no exercício, que ocorrerá até o dia 28 de outubro, participaram de diversas reuniões de planejamento para que a MINEX-23 seja conduzida com segurança e com o êxito esperado para o desenvolvimento desta nova tecnologia, como afirma o Comandante do 2o Distrito Naval, Vice-Almirante Antonio Carlos Cambra. “A MINEX servirá para fazermos tarefas exploratórias, a fim de aperfeiçoar os sistemas não tripulados e trazermos parâmetros para o desenvolvimento doutrinário. Os Sistemas Marítimos Não Tripulados são um passo a mais no desenvolvimento da indústria de defesa, ao adquirirmos tecnologia de controle autônomo e remoto, situação que temos visto em alguns conflitos pelo mundo. Adicionalmente, daremos um grande salto na formação e capacitação do nosso pessoal”.

Minagem e Contramedidas de Minagem
Sediado em Salvador (BA), o Com2oDN é a Organização Militar Orientadora Técnica líder na área de conhecimento de Minagem e Contramedidas de Minagem na MB. O Comando da Força de Minagem e Varredura, subordinado ao Com2oDN, é o componente operativo da MB, responsável pelas operações de Contramedidas de Minagem, destinadas a manter livres da ameaça de minas as linhas do tráfego marítimo ao longo do nosso litoral, as áreas marítimas adjacentes aos portos, terminais e plataformas, bem como as possíveis áreas de operações das Forças Navais. A este Comando estão subordinados os Navios-Varredores “Aratu”, “Atalaia” e “Araçatuba”, sediados no Complexo Militar-Naval de Aratu.

O Com2oDN possui, ainda, o Grupo de Avaliação e Adestramento de Guerra de Minas, criado em 8 fevereiro de 2006, cuja missão é produzir informações operacionais de guerra de minas, a fim de contribuir para o desenvolvimento, consolidação, disseminação e atualização de doutrina, procedimentos táticos e emprego dos equipamentos de guerra de minas.

 “O exercício é extremamente complexo, utilizando-se do máximo de atividades possíveis, o que exige um grande nível de coordenação e medidas de controle e comunicação muito bem estabelecidas para evoluirmos na guerra de minas”, complementa o Capitão de Mar e Guerra Marcos Paulo Beal, Encarregado do Grupo de Avaliação e Adestramento de Guerra de Minas.

NPaOc “APA” veio do Rio de Janeiro para participar da MINEX-23

Veículo de Superfície Não Tripulado – Laboratorial desenvolvido pelo CASNAV

Fonte: Agência Marinha de Notícias

23/10/2023 – Por Capitão de Corveta (T) Felipe Paes Leme – Salvador, BA

Você pode gostar...

3 Resultados

  1. Fabio disse:

    Obrigado amigo Grasn Barros o senhor
    sabe se a baixa do Mattoso Maia esta confirmada para dezembro?

  2. Fabio disse:

    Bom dia amigo Grann Barros o senhor poderia me dizer
    se a MB desistiu de usar navios caça minas e vai usar o ROV
    no combate a minas?
    obrigado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *