DESTRÓIER DA MARINHA DOS EUA REALIZA EXERCÍCIOS COM SUBMARINO BRASILEIRO TIKUNA

De acordo com informações publicadas pelo Departamento de Defesa dos EUA em 30 de setembro de 2022, o destróier de mísseis guiados da classe Arleigh Burke USS Lassen (DDG 82), a fragata brasileira BNS União (F45) e o submarino da classe Tupi Tikuna realizaram uma missão de 5 dias exercício marítimo ocorrido no litoral do Rio de Janeiro.

O exercício bilateral entre as forças norte-americanas e brasileiras concentrou-se na segurança marítima e no fortalecimento das parcerias marítimas com as nações parceiras.

As forças navais dos Estados Unidos e do Brasil construíram uma relação sobre uma visão compartilhada de um Oceano Atlântico sudoeste livre e aberto e uma prática constante de eliminar o comércio ilegal de drogas em toda a área. Ambos os países continuaram a trabalhar juntos e realizaram exercícios bilaterais para fortalecer a consistência regional.

O Lassen e a União conduziram com segurança operações de resgate e assistência, exercícios de tiro, operações de voo com um helicóptero MH-60R Sea Hawk acoplado ao Esquadrão de Helicópteros da Marinha “Spartans” (HSM) 70 e um helicóptero UH-12 Esquilo da Marinha do Brasil, e um Close Exercício de Apoio Aéreo (CASEX) onde ambos os navios recebem uma ampla área para procurar submarinos.

Sobre o submarino brasileiro

O S Tikuna (S-34) é um submarino Type 209 da Marinha do Brasil. Integrado ao Estaleiro da Marinha do Brasil no Rio de Janeiro (AMRJ), foi lançado em março de 2005 e incorporado à Marinha do Brasil em 21 de julho de 2006, sendo então transferido para o Comando de Operações Navais. É o quarto submarino da Marinha do Brasil fabricado no Brasil e o maior já construído no país.

O Tikuna é o quarto submarino da Marinha do Brasil construído dentro da estratégia de aprender a “Projetar, Construir e Reparar” esses recursos e o maior submarino já construído pelo país.

Ele tem uma tripulação de sete oficiais e 29 alistados, oito tubos de torpedo, e é movido por propulsão diesel-elétrica, com motor elétrico, baterias e conjuntos de geradores a diesel.

Seu projeto é baseado no projeto alemão IKL-209 que originou a Classe Tupi no Brasil. O Tikuna incorpora várias inovações tecnológicas que proporcionam melhor desempenho, como menor assinatura de ruído e maior período de operação submersa, principalmente durante as operações de recarga de bateria (Snorkel) enquanto a embarcação está mergulhando.

Veja também:

Destróier americano USS Lassen chega ao Rio de Janeiro

Fonte: Navy Recognition

Você pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.