PUTIN ASSINA DECRETO SOBRE MOBILIZAÇÃO PARCIAL DA RÚSSIA

Durante o seu discurso nesta quarta-feira (21), o presidente russo Vladimir Putin falou sobre o andamento da operação militar especial para a desmilitarização e desnazificação da Ucrânia e a libertação de Donbass, bem como medidas para proteger a soberania e integridade da Rússia.

Em seu discurso, o chefe de Estado disse que assinou o decreto para mobilização parcial na Rússia. De acordo com ele, as atividades de mobilização na Rússia começarão nesta quarta-feira, 21 de setembro.

“Para proteção da nossa Pátria, sua soberania e integridade territorial, para garantir a segurança de nosso povo e das pessoas nos territórios libertados, considero necessário apoiar a proposta do Ministério da Defesa e do Estado-Maior para realizar uma mobilização parcial na Federação da Rússia”, disse Putin.

Putin ressaltou também que serão recrutados apenas os cidadãos que estão em reserva. Em primeiro lugar, aqueles que cumpriram o serviço militar e têm experiência. Eles receberão treinamento adicional baseado na experiência da operação militar especial da Rússia na Ucrânia.

“Antes de serem enviados para as unidades, os recrutados deverão obrigatoriamente passar por treinamento militar, levando em conta a experiência da operação especial”, disse o presidente russo.

Segundo explicou o ministro da Defesa da Rússia Sergei Shoigu em um discurso separado, a mobilização parcial é necessária para controlar a linha de contato, que tem uma extensão de mil quilômetros, bem como os territórios libertados.

De acordo com o decreto para a mobilização parcial na Rússia, os chefes das regiões russas foram instruídos a prover recrutamento para o serviço militar conforme a mobilização parcial na quantidade e nos termos estabelecidos pelo Ministério da Defesa, informa o serviço de imprensa do Kremlin.

O decreto da mobilização parcial na Rússia, que entrou em vigor nesta quarta-feira (21), estipula:

Recrutar cidadãos da Federação da Rússia para o serviço militar nas Forças Armadas da Federação da Rússia. Cidadãos da Federação da Rússia, que foram recrutados para o serviço militar pela mobilização, recebem status de militares de serviço militar nas Forças Armadas da Federação da Rússia por contrato.

Estabelecer que o nível de salários dos cidadãos da Federação da Rússia, que foram convocados para o serviço militar por meio da mobilização para as Forças Armadas da Federação da Rússia, corresponda ao nível de salários dos militares que exercem serviço militar nas Forças Armadas da Rússia por contrato.

Conceder aos cidadãos da Rússia que trabalham em organizações do complexo militar-industrial o direito de adiar o seu recrutamento para mobilização (enquanto trabalham nestas organizações). As categorias de cidadãos da Federação da Rússia, que têm direito ao adiamento de incorporação ao serviço militar, e o procedimento para a concessão de adiamento são determinados pelo governo da Federação da Rússia.

Fonte: Sputnik Brasil News

Você pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.