PENTAGONO SUSPENDE ENTREGA DE CAÇAS F-35 APÓS DESCOBRIR COMPONENTE CHINÊS

190228-N-SS390-0234 LEMOORE, Calif. (February 28, 2019) Two F-35C Lightning II aircraft from Naval Air Station Lemoore flown by Maj. Michael Fisher and Capt John Taliaferro from Strike Fighter Squadron (VFA) 125 "Rough Raiders" fly in formation over the Sierra Nevada Mountain Range after completing a training mission (NASL), Calif. VFA-125 & VFA-147 are both located at NASL, Calif. VFA-125 is the Fleet Replacement Squadron (FRS) for the F-35C Lightning II. VFA-147 is U.S. Navy's first operational F-35C squadron and are attached to Carrier Air Wing (CVW) Two. (U.S. Navy photo by Lt. Cmdr. Darin Russell/Released)

(CNN)O Pentágono diz que está interrompendo temporariamente as entregas da aeronave F-35 da Lockheed Martin Corp depois de saber do fabricante que uma liga fabricada na China estava em um componente do caça furtivo, violando as regras federais de aquisição de defesa.

O Pentágono disse que um ímã contendo a liga usada em parte do pacote de energia integrado não representa nenhum problema de segurança.

“Confirmamos que o ímã não transmite informações ou prejudica a integridade da aeronave e não há riscos de desempenho, qualidade, segurança ou proteção associados a esse problema e as operações de voo para a frota em serviço do F-35 continuarão conforme normal”, disse o porta-voz do Departamento de Defesa, Russ Goemaere.

O Pentágono disse que a Lockheed Martin já encontrou uma fonte alternativa da liga para entregas futuras.

An F-35 Joint Strike Fighter, marked AA-1, lands Oct. 23 at Edwards Air Force Base, Calif. The F-35 Integrated Test Force staff concluded an air-start test. (U.S. Air Force photo/Senior Airman Julius Delos Reyes)

A empresa denunciou voluntariamente a não conformidade e uma revisão está em andamento para determinar como isso aconteceu. O Pentágono não divulgou quantas entregas de aeronaves estão atrasadas ou quantas tinham a liga chinesa. A empresa está programada para entregar até 153 F-35s em 2022 e entregou 88 até agora.

O F-35 é um dos caças mais avançados do mundo. Os EUA operam centenas dos jatos, que vêm em três configurações, o F-35As convencional de decolagem e pouso, pilotado pela Força Aérea; os F-35B do Corpo de Fuzileiros Navais, que podem pousar verticalmente; e o F-35C, configurado para operações de porta-aviões.

“Estamos trabalhando com nossos parceiros e o DOD para garantir a conformidade contratual dentro da cadeia de suprimentos. O ímã não tem visibilidade ou acesso a qualquer informação sensível do programa. O F-35 permanece seguro para o voo e estamos trabalhando com o DOD para resolver o problema o mais rápido possível para retomar as entregas”, disse a Lockheed Martin em comunicado. A liga é usada em um sistema fabricado pela Honeywell para a Lockheed Martin.

Por Barbara Starr , correspondente da CNN no Pentágono

Você pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.