CONTRATO DE CONSTRUÇÃO DE NOVO NAVIO ANTÁRTICO COMEÇA A SER EXECUTADO

Navio contribuirá para as pesquisas brasileiras no continente gelado

Um importante passo foi dado em direção à consecução do projeto do Navio de Apoio Antártico (NApAnt) com o estabelecimento, no último dia 12 de setembro, da data de início da execução do contrato. Com isso, o prazo de entrega do navio – de 36 meses – passa a ter como data final setembro de 2025. O novo navio substituirá e desenvolverá as mesmas missões que o Navio de Apoio Oceanográfico “Ary Rongel”, mas com capacidades aprimoradas a fim de apoiar a nova Estação Antártica Comandante Ferraz (EACF). 

O contrato para aquisição do NApAnt, com construção no País, teve a sua cerimônia de assinatura com a POLAR 1 Construção Naval SPE Ltda em 13 de junho deste ano. O projeto do novo navio busca dotar a Marinha do Brasil (MB) de um meio moderno e adequado ao cumprimento de missões no Continente Antártico, em especial o apoio logístico à EACF. A construção do NApAnt se dará nas instalações do Estaleiro Jurong-Aracruz, situado em Aracruz (ES).

O Diretor-Presidente da Empresa Gerencial de Projetos Navais, Vice Almirante Edesio Teixeira Lima Junior, ressalta que

“entre os benefícios resultantes da construção do novo navio estão a criação de cerca de 600 empregos diretos e seis mil indiretos, bem como o consequente fomento à indústria naval e à base tecnológica nacional, por meio de oportunidades de negócios que já podem ser percebidas pelo interesse e movimentação das empresas da nossa Base Industrial de Defesa”.

Especificações do NApAnt
O navio terá dimensões de 93,9 metros de comprimento, 18,5 metros de largura (boca moldada), calado de seis metros e autonomia para 70 dias. Com propulsão diesel-elétrica, poderá abrigar uma tripulação de 92 pessoas, incluindo 25 pesquisadores. 

O contrato prevê a construção, em território nacional, de um navio capaz de operar no verão e outono no Continente Antártico e com capacidade de navegar em locais de formação de gelo mais recente. Para isso, o navio necessita de um casco em formato específico e um cinturão reforçado de aço especial logo abaixo de sua linha d´água. 

Fonte: Agência Marinha de Notícias

5/09/2022 – Por Primeiro-Tenente (T) Paulo Yan Carlôto de Souza – Brasília, DF


Você pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.