LEONARDO E BAE ANUNCIAM PARCERIA PARA O FUTURE COMBAT AIR SYSTEM (FCAS)

FARNBOROUGH, Inglaterra – A Leonardo anunciou que fará parceria com a BAE Systems no desenvolvimento de um demonstrador do Future Combat Air System, que o Ministério da Defesa britânico planeja voar até 2027.

Ambas as empresas já estão colaborando no FCAS, e a BAE começou a trabalhar na plataforma de demonstração em suas instalações em Preston, Inglaterra. A Leonardo anunciou em 19 de julho que se juntará ao esforço, fornecendo metodologias de projeto de engenharia de sistemas baseados em modelos e outras tecnologias facilitadoras.

Com a sede da BAE no Reino Unido e a Leonardo na Itália, as empresas dizem que o acordo fortalece o relacionamento entre a Grã-Bretanha e a Itália, que são parceiras para o desenvolvimento do FCAS.

Falando em 19 de julho no Farnborough Airshow, o secretário de Defesa do Reino Unido, Ben Wallace, elogiou a colaboração da Grã-Bretanha com a Itália e seu novo parceiro em potencial, o Japão.

“Somos países sérios com orçamentos de defesa sérios e um apetite sério para garantir que tenhamos pele no jogo e sejamos líderes na próxima geração de caças”, disse Wallace.

A Suécia também esteve envolvida no Tempest e assinou um memorando de entendimento com a Grã-Bretanha e a Itália em 2020. A Força Aérea Sueca está no meio de seu próprio estudo das futuras capacidades de caça, e não está claro qual será o papel deles no programa. Wallace disse a repórteres após seu discurso que, embora a Suécia tenha participado das discussões sobre os requisitos do FCAS, não investiu no programa.

“O dinheiro é importante”, disse ele. “Temos que acelerar o desenvolvimento.”

A Grã-Bretanha se comprometeu a investir £ 2 bilhões (US $ 2,4 bilhões) na Tempest até 2025, com financiamento adicional por vir. O parlamento italiano aprovou em dezembro um investimento de € 6 bilhões (US$ 6 bilhões) nos próximos 10 anos.

O Reino Unido e o Japão também estão discutindo a colaboração no FCAS, e os dois países assinaram um memorando de cooperação em dezembro. A Reuters informou na semana passada que os países poderiam decidir fundir seus programas de caças de próxima geração até o final do ano.

Questionado se o FCAS e o programa do Japão, FX, se fundiriam sob tal parceria, Wallace disse que todas as opções estão na mesa.

Fonte: Defense News

Você pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.