ESQUADRÃO DA FORÇA AÉREA CANADENSE É PREMIADO NO EXERCÍCIO SEA DRAGON

Pelo segundo ano consecutivo, uma aeronave CP-140 Aurora e tripulação do 407 Long Range Patrol Squadron e pessoal de apoio do 19 Wing Comox participaram do Exercício Sea Dragon. E pelo segundo ano consecutivo, o destacamento da Força Aérea Real Canadense recebeu o cobiçado prêmio Dragon Belt pela tripulação de melhor desempenho no exercício.

Foi uma competição muito difícil este ano, com pontuação ajustada para simular um ambiente de combate. Além de ganhar o Dragon Belt pela maior pontuação geral, o 407 Long Range Patrol Squadron também ganhou o prêmio Kraken por ataques mais consistentes. Classificação final: Canadá: Ouro – Cinturão do Dragão; EUA: Prata; Austrália: Bronze.

Hospedado pela Marinha dos EUA na Base Aérea de Andersen em Guam, o Ex Sea Dragon 22 é um importante exercício antissubmarino multinacional na região do Pacífico. De 29 de dezembro de 2021 a 21 de janeiro de 2022, o exercício é dividido em três partes: introdução e aquecimento, competição Dragon Belt e exercícios de treinamento. Concentrando-se principalmente no treinamento de guerra antissubmarino, o exercício culmina em mais de 270 horas de treinamento em voo; desde o rastreamento de alvos simulados até o problema final de rastreamento de um submarino da Marinha dos EUA no mar. Durante as sessões de treinamento em sala de aula, tripulantes de todos os países participantes elaboram planos e discutem táticas que incorporam as capacidades e equipamentos de suas respectivas nações.

O exercício inclui participantes da Força Aérea Real Canadense, Marinha dos Estados Unidos, Força Aérea Real Australiana, Marinha Indiana, Força de Autodefesa Marítima Japonesa e Marinha da República da Coreia e é realizado para melhorar os relacionamentos.

“Exercícios como o Sea Dragon permitem um treinamento realista enquanto trocam habilidades, táticas e maior compreensão das operações multinacionais”, disse o Major-General Eric Kenny, Comandante 1 da Divisão Aérea Canadense. “O objetivo geral do exercício é melhorar a interoperabilidade de nossa força de patrulha de longo alcance nos esforços de guerra antissubmarino, ao mesmo tempo em que apoia nosso desejo mútuo de melhorar a segurança marítima em colaboração com nossos parceiros e aliados.”

Fonte: Royal Canadian Air Force

Você pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.