IMPEACHMENT DO PRESIDENTE SEBASTIÁN PIÑERA DO CHILE SEGUE PARA SENADO APÓS APROVAÇÃO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS

SANTIAGO, 9 de novembro (Reuters) – Um processo de impeachment contra o presidente chileno, Sebastián Piñera, por alegações de irregularidades na venda de uma mineradora, avançará para o Senado após ser aprovado por uma maioria de deputados na câmara baixa na manhã de terça-feira.

Após quase 22 horas de debate, a votação para prosseguir foi aprovada com o mínimo de 78 votos necessários, contra 67 contra e três abstenções. No Senado, isso exigiria um patamar mais alto de votação em dois terços dos 43 senadores.

O processo de impeachment contra Pinera surgiu depois que novos detalhes surgiram sobre o negócio no vazamento de Pandora Papers, um enorme cache de documentos que revelava transações offshore envolvendo figuras políticas e empresariais globais.

Entre eles, estavam documentos que parecem esboçar um acordo envolvendo a venda em 2010 da mina Dominga, um amplo projeto de cobre e ferro no Chile. Na época, Pinera, empresário bilionário, estava no primeiro ano do primeiro mandato.

O vazamento gerou polêmica no Chile porque sugeria que o negócio, que envolvia uma empresa ligada à família de Pinera, dependia de um ambiente regulatório favorável. A venda já havia sido examinada e indeferida pelos tribunais em 2017.

Pinera, um político de centro-direita que encerrará seu mandato como presidente no início do próximo ano, rejeitou as acusações e argumentou que todos os detalhes do contrato estavam no arquivo revisado anteriormente e que nenhuma irregularidade foi encontrada.

A maratona de debate na câmara baixa viu um deputado falar por cerca de 15 horas em uma tentativa de prolongar a votação e permitir que outro legislador se junte ao processo que estava cumprindo um período de quarentena obrigatório do coronavírus.

A polêmica vem antes das eleições presidenciais e legislativas em 21 de novembro, com o candidato de direita Jose Antonio Kast liderando nas pesquisas de opinião antes das eleições, à frente do esquerdista Gabriel Boric. Pinera não é candidato nessas eleições.Reportagem de Natalia Ramos; Edição de Fabian Cambero e Bernadette Baum

Fonte: Reuters

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.