SUBMARINO DA ÍNDIA FOI DETECTADO PELA MARINHA DO PAQUISTÃO

Militares paquistaneses dizem que a tentativa de incursão por navio indiano ocorreu na noite de sábado.

Islamabad, Paquistão – A marinha do Paquistão afirma ter “detectado e bloqueado” um submarino militar indiano de entrar nas águas territoriais do Paquistão no início desta semana, de acordo com um comunicado – a terceira incursão relatada por um navio submersível indiano desde 2016.

De acordo com um comunicado divulgado pelos militares paquistaneses na terça-feira, a tentativa de incursão por um submarino indiano ocorreu na noite de sábado.

“Durante o ambiente de segurança predominante, uma vigilância estrita foi mantida pela Marinha do Paquistão para proteger as fronteiras marítimas do Paquistão”, disse o comunicado do Paquistão.

Ele disse que o submarino foi “prematuramente detectado e rastreado por aeronaves de patrulha marítima de longo alcance [da Marinha do Paquistão]”.

Não houve resposta imediata do governo indiano à acusação.

Os militares e governos dos vizinhos do sul da Ásia regularmente trocam acusações uns contra os outros, geralmente em torno do suposto patrocínio de grupos armados que operam em solo uns dos outros.

A acusação de terça-feira é a terceira vez que os militares do Paquistão afirmam ter detectado um submarino indiano desde 2016. As duas reivindicações anteriores ocorreram em novembro de 2016 e em março de 2019.

A incursão relatada em 2019 ocorreu dias depois de um tenso impasse militar no disputado território da Caxemira, que viu os dois países bombardearem os territórios um do outro e uma luta aérea que terminou com um caça a jato indiano sendo abatido por jatos paquistaneses.

Um vídeo que acompanha a última declaração do exército paquistanês parece mostrar imagens infravermelhas de um mastro de submarino feito em 16 de outubro entre 23h18 e 23h36, horário local (18h18-18h36 GMT).

A etiqueta de localização geográfica para o “alvo” nas imagens que acompanham coloca o alvo a aproximadamente 283 km (176 milhas) ao sul da cidade costeira do Paquistão de Karachi, a maior metrópole do país.

A posição seria apenas dentro dos limites da Zona Econômica Exclusiva (ZEE) do Paquistão, uma área de água costeira e fundo do mar sobre a qual os países têm direitos econômicos exclusivos, de acordo com a Convenção das Nações Unidas sobre o Direito do Mar.

Os limites territoriais do mar, sobre os quais os países detêm direitos soberanos exclusivos, se estendem por 22 km (13 milhas) da costa, enquanto a ZEE se estende por 370 km (230 milhas) da costa, de acordo com a Convenção da ONU.

O Paquistão e a Índia com armas nucleares travaram três guerras em grande escala desde que conquistaram a independência dos britânicos em 1947. Suas relações têm sido particularmente tensas desde o impasse militar de 2019, que se concentrou na disputada região de Caxemira, reivindicada por ambas as nações.

Fonte: Al Jazeera

Você pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.