A II BRIGADA AÉREA DA ARGENTINA RECEBEU O PRIMEIRO BEECHCRAFT TC-12B HURON

A aeronave polivalente de curto alcance para transporte leve aumentará a capacidade de transporte e o suprimento aéreo operacional das II, III, V e VI Brigadas Aéreas, da Escola de Aviação Militar e da Base Aérea Militar de Morón

A II Brigada Aérea recebeu as primeiras aeronaves do Sistema de Armas de Huron Beechcraft TC-12B, recentemente incorporado pela Força Aérea Argentina (FAA).

É a primeira unidade de 12 adquirida pela Instituição com o objetivo de aumentar a capacidade operacional de abastecimento e transporte aéreo. Essas aeronaves leves de transporte contribuirão para a mobilidade estratégica e tática da FAA.

A solenidade realizada no dia 16 de setembro foi realizada na plataforma militar da unidade sediada na cidade do Paraná e foi presidida pelo chefe do Estado-Maior Conjunto, General-de-Brigada Juan Martín Paleo, juntamente com o Chefe do Estado-Maior General do da Força Aérea Argentina, Brigadeiro-Major Xavier Julián Isaac, autoridades das Forças Armadas e convidados especiais.

O evento começou com passagem aérea do Beechcraft TC-12B Huron acompanhado da aeronave Embraer EMB-312 Tucano, da III Brigada Aérea Reconquista.

Ao chegar à plataforma, o Sistema de Armas foi saudado por um arco de água, marco que comemora seu batismo na Instituição.

Mais tarde, as autoridades vieram saudar os tripulantes e o Brigadeiro-Major Isaac proferiu palavras alusivas: “Hoje é um dia muito importante, um dia que nos dá muita alegria por esta nova adição que temos hoje na Força”.

“Embora nunca percamos de vista que a aviação de combate é o que define uma Força Aérea, não menos importante é a tarefa da aviação de transporte. Tarefa, esforço e compromisso que presencio no dia a dia ”, disse o chefe da FAA.

“Esta é a primeira unidade de 12 que vamos incorporar e faz parte de um processo de recuperação e reequipamento que as Forças Armadas têm. A aviação de transporte desempenhou um papel fundamental durante a pandemia e em todas as atividades da Força ”, disse o Brigadeiro-mor, acrescentando: “A Força Aérea com este tipo de aeronave poderá deslocar-se mais rapidamente entre unidades, entre centros de logística. E não deve nos fazer perder de vista que a Instituição tem e deve se mover no ar. Com essas aeronaves poderemos fazer isso mais uma vez”.

“Quero agradecer ao governo nacional e ao Ministério da Defesa que nos apoiou com a promulgação do FONDEF, tão importante e fundamental para este tipo de aquisições. Quero agradecer pessoalmente ao meu camarada e amigo, o Chefe do Estado-Maior Conjunto, por quem posso assegurar que é fundamental o apoio permanente que a Força recebe e com quem fala na procura dos equipamentos e dos seus meios ”, Isaac explicou e continuou * “Quero agradecer à equipa que trabalhou muito para tornar isto realidade e tudo o que está por vir.”

Da mesma forma, agradeceu à Marinha argentina “por todo o apoio que nos deram desde o primeiro dia: por nos ter acompanhado aos Estados Unidos, por instruir nossos mecânicos, por fazer o vôo de balsa dos Estados Unidos para cá há poucos dias . “

“Damos as boas-vindas ao TC-117, não é apenas mais uma parte do inventário, vai fazer parte da nossa história daqui para a frente (…) A Força é um grupo de homens e mulheres unidos por uma paixão, que é a fuga., E para voar é preciso ter máquinas e essa é uma delas ” , disse o Brigadeiro-Major.

“É essa sinergia entre homem e máquina, indivisível, que nos permite ter mais força e poder voar mais alto, mais rápido e mais longe. Parabéns à Força e à II Brigada Aérea por esta incorporação ” , concluiu o Chefe do Estado-Maior General das FAA.

Ao final da cerimônia as autoridades percorreram o interior do avião guiadas pelos pilotos e mecânicos do Sistema de Armas.

O projeto teve início após um estudo realizado na Direção-Geral de Planos, Programas e Orçamento com foco na recuperação de capacidades da Instituição.

Este Sistema de Armas chega à Força Aérea Argentina para substituir o IA-50 Guaraní II, uma aeronave de transporte leve de fabricação nacional que operou por mais de 40 anos.

O Beechcraft TC-12B Huron foi adquirido junto com seu apoio logístico através do Fundo de Defesa Nacional (FONDEF) para cumprir tarefas de ligação.

Graças à sua grande versatilidade, permitirá satisfazer as necessidades de transporte de passageiros e cargas exigidas pelo Estado Nacional e aumentará a capacidade de abastecimento e transporte aéreo entre os diferentes destinos que compõem a Instituição.

Da mesma forma, também contribuirá para tarefas de apoio à comunidade, como socorro em desastres, emergências de saúde e evacuação aeromédica. No âmbito da pandemia COVID-19, este Sistema de Armas também se somará aos esforços da Operação Belgrano II.

Ao chegar ao país, a aeronave foi transferida da 1ª Brigada Aérea para a Área de Materiais do Rio IV para aplicação do esquema de base em pintura cinza, o que implica baixa visibilidade.

O processo de treinamento de solo para pilotos e mecânicos teve início em outubro de 2020 na Base Aérea Naval Punta Indio, pertencente à Marinha Argentina.

A partir da chegada do Huron à Instituição, o Curso de Padronização de Procedimentos para Aviadores de Transporte que foi realizado na IX Brigada Aérea será ditado na II Brigada Aérea do Paraná.

A este respeito, o 1º Tenente Juan Francisco Manzur do Esquadrão A200C confessou que a chegada da aeronave à Unidade representa um momento muito especial “já que a esperava há muito tempo, recebemos um novo Sistema de Armas no qual expandiremos nossa capacidade de transporte aéreo e como tarefa principal estaremos treinando novos pilotos para o que é a aviação de transporte dentro da Força Aérea Argentina ” .

“Eles serão instruídos em lançamento aéreo, treinamento de vôo, navegação tática e busca e resgate, entre outras tarefas, que graças a essas máquinas modernizadas ampliamos muito as capacidades em relação às aeronaves que tínhamos anteriormente”, disse Manzur.

“Para mim é um orgulho estar aqui, pertencer e fazer parte da abertura de um novo Esquadrão que nos dará a oportunidade de expandir a capacidade da aviação de transporte. Nossa tarefa será treinar os pilotos para que a partir de agora eles possam escalar para sistemas cada vez maiores dentro da especialidade ” , finalizou o tenente.

Por sua vez, o Tenente Facundo Ravasio, lotado na II Brigada Aérea, explicou que “hoje somos 12 aviadores militares que aguardam o início do Curso de Normalização de Procedimentos para Aviadores de Transporte. É um grande orgulho para nós incorporar uma nova capacidade para a Força Aérea e fazer parte deste primeiro Esquadrão que está se formando em nossa Instituição ” .

“A expectativa é muito grande, estamos esperando há quase 1 ano. O fato de ele já estar no Paraná hoje nos dá muita esperança e muita vontade de começar o curso agora, que sabemos que será um grande sacrifício e esforço, mas aguardamos a chegada da próxima aeronave deste Sistema de Armas ” disse o tenente.

Da mesma forma, o suboficial auxiliar Gastón Cherini, que vai cumprir a função de mecânico tripulante, declarou que “para nós é uma grande incorporação, um desafio a enfrentar e tentar dar o melhor de nós mesmos, com toda a equipe que temos atrás dos oficiais e suboficiais., para que a aeronave cumpra a sua missão ” .

Com a chegada da primeira aeronave, a II Brigada passou a ser a unidade governante deste Sistema de Armas, do qual é também sede do Lear Jet 35 A, Lear Jet 60 e Cessna 182.

Posteriormente, o restante da aeronave adquirida pela Instituição entrará na Força e será alocada a diferentes unidades como a Base Aérea Militar de Morón; as III, V e VI Brigadas Aéreas e a Escola de Aviação Militar.

Assim, uma nova aeronave passa a integrar as asas da Força Aérea Argentina, uma Força que não para.

Por Lic. Florencia Sosa / Fotos: Alf. Melina Fernández e C Zelma Nachef

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.