TSIRKON, SIRIUS, KOALITSIA-SV: DEFESA DA RÚSSIA FECHA MAIS DE 40 CONTRATOS DE COMPRA DE ARMAS

Entre os acordos assinados estão a compra de mísseis Tsirkon, de drones Sirius e de canhões autopropulsados Koalitsia-SV. O fechamento destes contratos é um marco importante nos programas russos de rearmamento.

Durante o fórum Exército 2021, o Ministério da Defesa da Rússia assinou mais de 40 contratos de entrega de 1.300 novas armas e equipamentos, no valor de mais de 500 bilhões de rublos (R$ 36 bilhões), informou o vice-ministro de Defesa, Aleksei Krivoruchko.

“Hoje foram entregues quatro contratos e assinados 41 contratos com 27 fabricantes do complexo militar-industrial, no valor de mais de 500 bilhões de rublos”, disse Krivoruchko.
O fechamento destes contratos é uma etapa importante nos programas estatais de armamento, segundo o vice-ministro russo. Entre os documentos, o Ministério da Defesa assinou o primeiro contrato com a empresa NPO Mashinostroyeniya para entrega de mísseis hipersônicos Tsirkon. Este míssil de cruzeiro é projetado para atingir alvos marítimos e terrestres.

Além disso, foi acordada a entrega de drones de combate Inokhodets-RU, também conhecido como Sirius, e de munições guiadas e não guiados para este veículo aéreo. O drone é desenvolvido pela empresa russa Kronshtadt e seu protótipo foi apresentado pela primeira vez no ano passado.
O Ministério da Defesa da Rússia fechou ainda um acordo de venda para as Forças Armadas do sistema de artilharia autopropulsada Koalitsia-SV. É o primeiro contrato de produção em série dos Koalitsia-SV, dado que antes haviam sido entregues ao Exército apenas protótipos desta arma.

“Foi assinado o contrato estatal para fornecer canhões autopropulsados 2S35 de 152 milímetros do sistema de artilharia intermodal Koalitsia-SV”, informou o Ministério da Defesa da Rússia.
O sistema russo de artilharia autopropulsada Koalitsia-SV, é projetado para eliminar postos de comando, centros de comunicação, baterias de artilharia, veículos blindados, sistemas de defesa aérea e de mísseis na distância de até 70 quilômetros.

Fonte: Sputnik

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.