PRESIDENTE DO IRÃ EBRAHIM RAISI AFIRMA QUE ATRASO NA LIBERAÇÃO DE ATIVOS CONGELADOS DO PAÍS NO JAPÃO NÃO É JUSTIFICÁVEL

TEHRAN (Tasnim) – O presidente iraniano, Ebrahim Raisi, pediu ao Japão que descongele os ativos do país que foram bloqueados injustificadamente.

Em reunião com o ministro das Relações Exteriores do Japão, Motegi Toshimitsu, realizada em Teerã no domingo, Raisi destacou a necessidade de liberação dos recursos monetários do Irã que estão congelados no Japão.

“O atraso na liberação dos ativos iranianos mantidos em bancos japoneses não é justificável”, disse ele.

Destacando os laços amistosos entre Teerã e Tóquio e pedindo o aprimoramento das relações econômicas e comerciais, o presidente elogiou o Japão por sua assistência humanitária ao Irã na luta contra a pandemia do coronavírus.

Em resposta ao apelo do ministro das Relações Exteriores japonês para a implementação do Plano de Ação Conjunto Global, ele disse que, embora a República Islâmica tenha honrado totalmente seus compromissos com o JCPOA, foram os EUA que violaram o acordo, retiraram-se do acordo unilateralmente e intensificaram as sanções em Teerã.

Denunciando as partes europeias por seguirem os EUA e se recusarem a honrar o acordo nuclear de 2015, Raisi disse que os americanos devem ser responsabilizados por não cumprirem seus compromissos e fornecerem à opinião pública mundial uma explicação para a violação do JCPOA.

O presidente deixou claro que o Irã não tem nenhum problema com as negociações em si, mas disse: “Com que justificativa as sanções dos EUA contra a nação iraniana devem continuar?”

Sobre os desenvolvimentos no Afeganistão, ele saudou os esforços do Japão e dos países regionais para o estabelecimento da paz e estabilidade, acrescentando: “A República Islâmica do Irã sempre apoiou e continua a apoiar a paz e estabilidade no Afeganistão, no entanto, acreditamos que os afegãos eles próprios deveriam decidir pelo Afeganistão ”.

Culpando a interferência estrangeira pelos problemas persistentes no Afeganistão, o presidente disse que a presença de americanos na região, como no Afeganistão, não resultou em segurança, mas criou ameaças.

“Hoje, os americanos confessam depois de 20 anos que sua presença no Afeganistão foi errada e, sem dúvida, vamos testemunhar tal confissão sobre outros países regionais, bem como sobre o Golfo Pérsico em um futuro próximo”, afirmou Raisi.

Leia também:

TRIPULAÇÃO DO NAVIO JAPONÊS ATINGIDO NO GOLFO DE ORMUZ, DESMENTE US NAVY E AFIRMA QUE NÃO HOUVE ATAQUE COM MINAS

Ele ressaltou ainda que garantir a segurança das águas regionais e internacionais será do interesse de todos os lados, observando que o Irã se opõe a qualquer ato que resulte na insegurança da região.

Por sua vez, o alto diplomata japonês expressou confiança de que as relações entre Tóquio e Teerã crescerão com o mandato do novo presidente iraniano.

Destacando os esforços do Japão para garantir a paz e estabilidade regional, Motegi disse que seu país sempre apoiou o JCPOA e acredita que a retomada do acordo nuclear servirá aos interesses de todas as partes e poderá contribuir para uma solução negociada para os problemas.

O ministro das Relações Exteriores japonês em visita também expressou preocupação com os recentes acontecimentos no Afeganistão, pedindo o fim da violência e a proteção das vidas das pessoas naquele país.

O Japão apóia os esforços diplomáticos dos países regionais para o estabelecimento da paz, estabilidade e calma na região, e sua política de princípios é que os problemas e conflitos devem ser resolvidos pacificamente e por meio do diálogo, concluiu.

Fonte: Tasnim

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.