LÍBANO RECLAMA A ONU SUCESSIVAS INVASÕES DE SEU ESPAÇO AÉREO POR ISRAEL PARA ATACAR A SÍRIA

TEERÃ (Tasnim) – O Líbano apresentou uma queixa à ONU depois que seu espaço aéreo foi usado para atacar alvos na vizinha Síria na quinta-feira.

A ação do Líbano veio depois que jatos israelenses “violaram descaradamente” seu espaço aéreo para realizar ataques em território sírio na quinta-feira.

A incursão teria forçado dois voos civis a se desviarem de sua rota.

Na noite de quinta-feira, as defesas aéreas da Síria “repeliram uma agressão com mísseis israelenses”, derrubando a maioria dos projéteis que se aproximavam, informou a agência de notícias estatal síria SANA, citando fontes militares.

Os ataques supostamente vieram do lado sudeste da capital libanesa, Beirute, e de áreas alvejadas fora das cidades sírias de Damasco e Homs, de acordo com a agência.

O ataque foi condenado pelas autoridades libanesas, com a ministra da Defesa, Zeina Akar, dizendo que os aviões de guerra israelenses “violaram descaradamente o espaço aéreo do Líbano”.

Abaixo, um vídeo não atual do nosso canal que comenta esse assunto:

Os jatos voaram em baixa altitude e causaram “um estado de pânico entre os cidadãos”, disse o ministro citado pela Reuters. De acordo com outros relatórios, pelo menos dois aviões de passageiros com destino a Beirute foram forçados a desviar de suas rotas de vôo devido ao aparecimento de aviões militares na área.

De acordo com a RT, o Líbano reclamou às Nações Unidas sobre os relatos de sobrevôos israelenses, que violam a Resolução 1701 da ONU que encerrou o conflito de 2006 entre Israel e o Hezbollah, disse Akar. A ONU deve agir para impedir tais incidentes, ela insistiu.

As Forças de Defesa de Israel (IDF) realizaram vários ataques contra alvos dentro da Síria nos últimos anos, usando o espaço aéreo libanês para evitar as defesas aéreas da Síria. Damasco denunciou repetidamente esses ataques como atos de agressão.

Em julho, a Rússia, o Irã e a Turquia, que são aliados da Síria no combate ao terrorismo, condenaram conjuntamente os ataques israelenses “contínuos”, descrevendo-os como violações do “direito internacional, direito internacional humanitário, soberania da Síria e países vizinhos. ”

Fonte: Tasnim

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.