VÍDEO PROMOCIONAL DA MUNIÇÃO RUSSA “LANCET” ABATENDO UM DRONE TURCO REVELA O STATUS ATUAL DA RELAÇÃO ENTRE OS DOIS PAÍSES

Um vídeo em que um drone suicida russo abate um Veículo Aéreo Não-Tripulado “Bayraktar” de origem turca exibida na TV estatal russa, serviu como uma mensagem de guerra a Ancara. No vídeo, uma arma russa conhecida pelo nome de “Lancet” explode o UAV turco quando sua espoleta de proximidade é detonada ao alcançar o alvo.

No vídeo é ouvido o seguinte texto:

“Os turcos estão orgulhosos de que Bayraktar desempenhou um papel fundamental na guerra em Karabakh, mas a realidade é um pouco diferente. Bayraktar não é tão terrível. Esta aeronave é facilmente atingida por sistemas (MANPADS), bem como por sistemas de mísseis antiaéreos. O sistema de mísseis Tunguska-M2 também pode derrubar o Bayraktar. ”

‘ A Rússia com a notícia do UAV, eliminará Bayraktar. A velocidade da “Lanceta” ultrapassa 300 quilômetros, no momento em que o Bayraktar atinge apenas 150! ”

” O Bayraktar é bastante vulnerável aos sistemas de defesa aérea russos devido à sua baixa velocidade e flexibilidade limitada e também é muito fácil de abater com um Pantsir ou Buk-M2. Não são necessários sistemas S-300 mais poderosos. E S-400”.

Na semana anterior, o presidente turco Erdogan afirmou ao presidente ucraniano Zelensky que não apoiaria a Rússia no iminente conflito entre russos e ucranianos. A Rússia apoia os separatistas ucranianos de Donbass, que como os habitantes da península da Crimeia querem separar-se da Ucrânia. Antes, porém, a população da Crimeia votou em um plesbicito que somou quase 100 % a favor península ser anexada a Rússia.

Esse comportamento não linear de Erdogan faz parte de sua personalidade e provoca conflito com a aliada OTAN e também com o governo russo. Basta lembrar a visita conturbada de Erdogan a Putin na Rússia que acabou transformando o episódio em uma comédia sem graça para o líder turco, que teve que esperar mais do que necessário o anfitrião Putin.

Antes, porém, em 2015, no início do conflito sírio, Erdogan autorizou o abate de uma aeronave de ataque síria SU-24 que estava atacando posições de terroristas sunitas próxima a fronteira da Turquia e Síria por um F-16. O incidente provocou uma série de atritos entre os dois países, só superada pela atuação incisiva da Rússia e o pedido desculpas de Erdogan.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.