BOEING 737-700: UM RECURSO CRÍTICO PARA O PODER AÉREO ARGENTINO

A Força Aérea Argentina adquiriu uma aeronave de médio alcance que aumentará a capacidade operacional de transporte aéreo

“Hoje é um dia cheio de alegrias e satisfação. Em primeiro lugar, porque incorporamos e não desprogramamos (…). O Boeing é uma aeronave de alta capacidade que a Aeronáutica perdeu há muito tempo e implica um recurso fundamental dentro do ar poder. Esta incorporação não é por acaso, foi algo pensado e planejado. É uma aeronave carro-chefe de nossa companhia aérea de bandeira que nos permitirá sustentar, manter, logística e treinar ” , disse o chefe da Força Aérea Argentina, Brigadeiro O Major Xavier Julián Isaac, durante a cerimônia de boas-vindas do Boeing 737-700 NG “Islas Malvinas” que conduziu junto com o Ministro da Defesa, Ing. Agustín Rossi.

Na tarde desta terça-feira, 27 de abril, na Primeira Brigada Aérea de El Palomar, realizou-se o sonho de toda uma instituição que vive, se aperfeiçoa e se constrói com seu poder aéreo: a aquisição de uma nova aeronave.

Sob o olhar atento de autoridades da Aeronáutica, Ministério da Defesa, militares da Unidade e entusiastas jornalistas e fotógrafos – respeitando o protocolo exigido pela pandemia – o Boeing 737 chegou à Brigada Aérea escoltado por aviões da IA. Pampa e, ao pousar na plataforma militar, foi recebido com a tradicional proa d’água que simboliza seu batismo de boas-vindas.

A tripulação, o comandante do Treinamento de Alistamento, Brigadeiro-Major Oscar Palumbo, e dois comandantes da Aerolineas Argentinas, órgão fundamental no treinamento de nossos pilotos para operar a referida aeronave, desceram rapidamente.

“Agradeço especialmente a equipe de trabalho que trouxe o avião. Foram meses e meses de esforço, sou testemunha disso, procurando o melhor dentro dos recursos disponíveis. É uma capacidade fundamental que incorporamos para a Força Aérea, para o instrumento militar e para o nosso país (…). Minhas últimas palavras são para a estrela do dia: o T-99. Para nós, aeronáuticos, as máquinas fazem parte da nossa família: damos-lhes nomes, placas, contamos histórias sobre elas. Hoje damos as boas-vindas e desejamos muitas horas de vôo ”, concluiu o Brigadeiro-Mor Isaac.

Posteriormente, o chefe da pasta de Defesa tomou a palavra. “Demorou 15 anos para recuperar uma capacidade, um sistema de armas; para potencializar a tarefa e o trabalho diário e diário da Força Aérea (…). Desde o primeiro momento em que me tornei Ministro da Defesa, não deixei de reconhecer a necessidade de reequipar as Forças Armadas argentinas (…). Não tínhamos um avião de transporte grande, com muita autonomia e que nos primeiros momentos da pandemia teria significado muito para nós. Agora estará à disposição das ações humanitárias de que a sociedade e o Estado Nacional precisam ”, disse o Ministro Rossi e acrescentou: “ Hoje podemos realizar este sonho. Para todos os argentinos, este é um fato importante e para a Força Aérea, muito importante ”.

A partir de agora, o T-99 passa a ser a primeira aeronave do novo e nascente Esquadrão IX da 1ª Brigada Aérea que, sob o lema “a unidade faz vitória”, invoca em sua gênese o legado do glorioso V Esquadrão de Transporte Aéreo que foi engajado durante o Conflito do Atlântico Sul.

A curto prazo, o referido Esquadrão integrará o destacamento de militares em exercícios operacionais em território nacional, participará na transferência de pessoal das Forças Armadas em missões das Nações Unidas e cobrirá destinos para Linhas Aéreas Estatais.

O PROJETO DE AQUISIÇÃO

Foi impulsionado pela necessidade de um sistema de transporte aéreo estratégico, diminuído em 2006 com a desprogramação do sistema de armas do Boeing 707 do Esquadrão V. Em abril do ano passado, foi encaminhado para o Grupo de Transporte Aéreo I, entidade que estava no comando a partir da análise, busca e seleção de um modelo que atenda a uma série de critérios, principalmente que a aeronave possa ser projetada por pelo menos 20 anos.

Em junho, a equipe da 1ª Brigada Aérea determinou que o 737 era a plataforma ideal, focando a busca na série NG. Nesse sentido, buscava-se uma aeronave de grande aceitação global, que facilitasse aos pilotos a entrada no mundo da automação, com conceitos e técnicas atuais de voo, e que permitisse a mecânicos e tripulantes atuar em cenários mais complexos e modernos.

Em agosto, com os requisitos operacionais já delineados, a Organização da Aviação Civil Internacional (OACI) apresentou os licitantes e, um mês depois, foi concluída a seleção da aeronave.

2020 se despediu do processo de compra antecipado e do treinamento dos pilotos, auxiliares de carga e tripulantes de cabine para operar o Boeing no Centro de Treinamento e Treinamento de Pilotos da República Argentina (CeFEPRA).

LA AERONAVE

Equipado com os motores mais potentes do mercado, possui envergadura de 36 metros, comprimento de 33 metros e peso máximo de decolagem de 70 toneladas, podendo transportar 140 passageiros.

É equipado com sistemas de navegação abrangentes que abrangem o conceito de Navegação Baseada em Desempenho (PBN), tem a capacidade de voar em espaços com separação mínima vertical reduzida e, graças ao seu alto grau de automação, pode realizar abordagens por instrumentos de categoria I, II e III, permitindo pousar em condições de visibilidade reduzida.

Totalmente revestido de cinza, o que implica superioridade aérea, o T-99 se junta à Força Aérea Argentina para aumentar suas capacidades, projetar um futuro e ser um instrumento de Defesa Nacional.

Fonte: Fuerza Aerea Argentina

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.