UNIDADES ANTIAÉREAS DA ESPANHA SE EXERCITAM NO ‘MISTRAL SHIELD I / 21″

O Grupo de Artilharia Antiaérea (GAAA) “Mistral” II / 71 tem sido a unidade do Comando de Artilharia Antiaérea encarregada de planejar, coordenar e executar o exercício “Escudo Mistral I / 21” desenvolvido, de 6 a 12 de março, no Nacional Centro de Treinamento “San Gregorio” (Zaragoza).

Foi proposto com o objetivo principal de avançar no treinamento de unidades antiaéreas em missões de acompanhamento e proteção às unidades de manobra da Força. Para a realização desse exercício, foi constituída uma Unidade de Defesa Antiaérea (UDAA) com a participação de várias unidades do Exército.

Assim, do Comando de Apoio à Manobra, fizeram parte: a Unidade de Transmissão do Comando de Artilharia Antiaérea e uma equipe Conjunta de Controle de Ataque Terminal do 11º Regimento de Artilharia de Campanha do Comando de Artilharia de Campanha; da Divisão “Castillejos”: as Brigadas “Aragón” I, “Rey Alfonso XIII” II da Legião, “Galicia” VII, “Guzmán el Bueno” X e “Guadarrama” XII; da Divisão “San Marcial”: as Forças Aéreas do Exército (FAMET) e a VI Brigada de Paraquedistas “Almogávares”; do Comando das Canárias: a 16ª Brigada “Canárias” e o Comando Geral de Ceuta; bem como o Esquadrão de Apoio à Decolagem Aérea da Força Aérea.

O programa de atividades foi dividido em duas fases. No primeiro, colaborou com o exercício “Humble Flare”, organizado pela FAMET, no qual as unidades do Mistral foram treinadas no combate antiaéreo contra helicópteros em ambiente diurno e noturno de guerra eletrônica. Na segunda fase, foi realizado um exercício de colaboração com o Grupo de Cavalaria Leve Blindada “Numancia” – do 11º Regimento de Cavalaria “Espanha”. Durante el ejercicio, se ha puesto en práctica los procedimientos de integración interna de la UDAA, para lo que se ha contado con colaboraciones aéreas de las FAMET –con un helicóptero NH-90 y un Cougar– y con dos aeronaves F-18 del Ejército do ar.

Da mesma forma, têm sido realizados exercícios de treinamento na configuração de postos de comando, bem como práticas de defesa para unidades de manobra e zona contra ameaças de Sistemas Aéreos Não Tripulados.

O exercício tem sido um desafio em termos de planejamento e coordenação, devido ao número de unidades envolvidas e à variedade de atividades programadas.

Fonte: Ejército de Tierra

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.