TUDO SOBRE O FUTURO PORTA-AVIÕES RUSSO “VARAN”

O ‘Varan’ será o único navio modular do mundo capaz de levar até 50 veículos aéreos em sua doca ou realizar tarefas comerciais na rota Ártico Norte.

Em março de 2021, a Rússia começou a construção de um novo navio de assalto anfíbio, batizadode “Varan”. Ele é um porta-aviões altamente automatizado que pode acomodar até 24 aeronaves de múltiplas funções, 6 helicópteros e até 20 veículos aéreos não tripulados.

“A composição do grupo aéreo do ‘Varan’ deverá ser formada por caças MiG-29K e de aviões da próxima geração com decolagem e pouso vertical”, lê-se no comunicado da empresa responsável pelo desenvolvimento do navio.

No total, este navio de assalto anfíbio poderá transportar até 50 veículos aéreos de várias classes, desde helicópteros de transporte até aviões de combate.

Os enganheiros que o projetaram afirmam que “Varan” receberá “sistemas robóticos avançados, com sistema de controle de combate integrado”, mas não revelam detalhes da sua inteligência artificial.

O deslocamento do “Varan” é de cerca de 45 mil toneladas. O navio terá 250 metros de comprimento e 65 metros de largura e poderá atingir a velocidade máxima de 26 nós náuticos, ou seja, cerca de 50 km/h.

“A principal característica do navio está na sua modularidade. Na sua base podem ser criados diversos tipos de grandes navios, como, por exemplo, um porta-aviões, um navio de assalto anfíbio, um navio de transporte, um navio hospital ou um navio de apoio do Ártico”, diz o editor-chefe da revista militar russa Nezavíssimoie Voénnoe Obozrénie, Dmítri Litôvkin.

Assim, os desenvolvedores russos poderão vender o projeto não apenas aos militares russos, mas também às corporações náuticas globais, apresentando uma versão comercial do navio que pode transportar gás e petróleo por todo o planeta, mesmo através da rota Ártico Norte.

“O preço do navio bem como os detalhes da sua inteligência artificial ainda estão sendo mantidos em segredo. Potencialmente, eles serão revelados quando o primeiro navio será entregue à frota russa. Espera-se que isso aconteça no final da década de 2020 ”, diz.

Análogos estrangeiros

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.