CHEGADA DA SONDA ‘TIANWEN-1’ A MARTE REFORÇA O AMBICIOSO PROGRAMA ESPACIAL DA CHINA

País quer construir uma estação espacial, lançar outras missões de pesquisa de asteroides e chegar à órbita de Júpiter.

A entrada em órbita, confirmada nesta quarta-feira pela agência espacial chinesa (CNSA), e o pouso da sonda Tianwen-1 na superfície marciana ―em algum momento nos próximos três meses― é um dos feitos definidos para este ano pelo ambicioso programa espacial chinês, uma das prioridades de Pequim em suas aspirações de tornar o país uma potência no campo da inovação nas próximas três décadas.

O projeto marciano é ambiciosíssimo para a China, pois inclui três veículos: um segmento orbital, um veículo de pouso e um robô móvel, semelhante aos que a China já enviou duas vezes à Lua. A China vai tentar se tornar o primeiro país a enviar um orbitador, um aterrissador e um pequeno veículo móvel a Marte em sua primeira missão ao planeta vermelho, informa Nuño Domínguez. A Tianwen-1 se dirige para Utopia Planitia, no hemisfério norte, um lugar ideal para tentar um pouso suave devido à finura de seu solo e por ser um terreno pouco elevado, razão pela qual existe mais atmosfera para frear.

O projeto marciano é ambiciosíssimo para a China, pois inclui três veículos: um segmento orbital, um veículo de pouso e um robô móvel, semelhante aos que a China já enviou duas vezes à Lua. A China vai tentar se tornar o primeiro país a enviar um orbitador, um aterrissador e um pequeno veículo móvel a Marte em sua primeira missão ao planeta vermelho, informa Nuño Domínguez. A Tianwen-1 se dirige para Utopia Planitia, no hemisfério norte, um lugar ideal para tentar um pouso suave devido à finura de seu solo e por ser um terreno pouco elevado, razão pela qual existe mais atmosfera para frear.

Para continuar a ler essa matéria clique aqui!

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.