PUBLICADOS OS NOVOS REQUISITOS PARA AQUISIÇÃO DE SISTEMA DE DEFESA ANTIAÉREA DE MÉDIA ALTURA

No último dia 11 de dezembro o Ministério da Defesa resolveu publicar no Diário Oficial da União a portaria nº 4.181 que aprova os “Requisitos Operacionais Conjuntos (ROC)” para o Sistema de Artilharia Antiaérea de Média Altura /Médio Alcance
das Forças Armadas, ou seja, o sistema de defesa deverá ser adquirido e operado pelas três forças: FAB, Exérito Brasileiro e Marinha do Brasil.

Atualmente, as Forças Armadas possuem apenas sistemas de defesa antiaérea de baixa altura, entre eles, os sistemas IGLA-S (Rússia), O RBS-70 (Suécia) e os canhões Oerlikon de 30mm autorrebocados das viaturas Gepard que protegem colunas de blindados, principalmente carros de combate. Possui algumas baterias de Oelikons e Bofors não rebocados.

O último governo a negociar sobre a aquisição dos sistemas de defesa de média altura foi o da presidente Dilma Roussef, mas não foi concluído, apesar de ser anunciado que o sistema de canhões e mísseis de procedência russa, Pantsir seria adquirido. A FAB, naquela época parecia ser a força mais animada em receber o equipamento, incluíndo-o até em sua campanha publicitária.

Agora, parece que o sistema russo está novamente sendo cogitado, mas na sua nova versão o Pantsir S2 com capacidades mais robustas do seu radar e alcance maior dos mísseis que podem engajar alvos a 40 km, justamente o alcance obrigatório do ROC. O novo Pantsir também empregará mísseis que podem abater pequenos drones.

Por Graan Barros

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.