NAVAL GROUP SAÚDA A DECISÃO DO PRESIDENTE DA FRANÇA DE LANÇAR OS ESTUDOS DE UM FUTURO PORTA-AVIÕES

O Presidente da República anunciou o lançamento dos estudos para a substituição do porta-aviões Charles de Gaulle por um novo porta-aviões de propulsão nuclear até 2038. O Grupo Naval congratula-se com esta decisão e vai estar envolvido neste histórico projecto com as suas grandes indústrias parceiros Chantiers de l’Atlantique, TechnicAtome e Dassault Aviation. O know-how e as habilidades do Naval Group serão totalmente mobilizados para atender às expectativas das forças armadas francesas. A escolha do Presidente da República Francesa é um grande impulso para a base tecnológica e industrial de defesa francesa e para a indústria nuclear, pois este projeto irá mobilizar várias centenas de empregos na França e, em seguida, vários milhares a cada ano na fase de implementação.

Pierre Eric Pommellet, presidente e CEO do Naval Group disse: “Estamos muito satisfeitos com o anúncio do Presidente da República Francesa, que permitirá à França manter a sua posição no círculo muito restrito das grandes potências detentoras de um porta-aviões nuclear. Este projeto ajudará a desenvolver empregos na base industrial e tecnológica de defesa e a garantir a continuidade de nossas competências na atual crise econômica e de saúde. O Grupo Naval, seus parceiros e todo o seu ecossistema permitirão à Marinha Francesa se beneficiar dos melhores sistemas navais de sua nau capitânia. Estamos empenhados, como arquitetos gerais, em responder, juntamente com nossos parceiros Chantiers de l’Atlantique e TechnicAtome, bem como a Dassault Aviation, à expressão das necessidades da Direção Geral de Armas (DGA) francesa e das Energias Alternativas da França e Comissão de Energia Atômica (CEA). Finalmente, este projeto permitirá desenvolver a inovação nos domínios da propulsão e dos sistemas militares de elevado valor acrescentado, mantendo assim a liderança tecnológica da França e a sua posição de protagonista geoestratégico fundamental. É um grande orgulho para o Grupo Naval começar a construir o maior navio de guerra que a França já construiu”


O Grupo Naval contribui há 60 anos para o projeto, construção e manutenção em condições operacionais dos porta-aviões franceses

Como líder europeu na defesa naval, o Grupo Naval tem garantido por muitas décadas a superioridade tecnológica das embarcações da Marinha Francesa e de seus clientes internacionais. Sua excelência operacional tem sido demonstrada regularmente.

Entre suas inúmeras realizações, o Grupo Naval contribuiu para o projeto, construção e manutenção em condição operacional dos três porta-aviões da Marinha Francesa: o Clémenceau , o Foch e o Charles de Gaulle . Esses navios contribuíram para a influência da França em muitas áreas de conflito ao redor do mundo. O Naval Group faz parte de um número muito pequeno de empresas industriais capazes de construir porta-aviões.

Mais especificamente, o Grupo Naval também construiu e integrou, em parceria com a CEA e a TechnicAtome, as duas caldeiras nucleares a bordo do porta-aviões Charles de Gaulle , o primeiro porta-aviões francês equipado com propulsão nuclear. Esta embarcação com energia nuclear provou sua confiabilidade e segurança. A propulsão nuclear dá a este navio uma considerável autonomia no mar e uma grande flexibilidade de uso.

Tendo entrado em serviço ativo em 2001, o porta-aviões Charles de Gaulle estará em serviço até aproximadamente 2038.

As habilidades excepcionais do Naval Group, únicas na Europa, serão totalmente mobilizadas

O Naval Group, como integrador de sistemas e contratante principal dos submarinos e navios de superfície da Marinha Francesa, desenvolveu habilidades avançadas e raras. Entre as suas competências, o Grupo Naval tem competências em três áreas principais em particular: as actividades de arquitecto e contratante principal geral, de integrador de sistemas de armas navais complexos e relativas à propulsão nuclear, o fabrico e montagem de reactores e a manutenção em funcionamento estado das caldeiras nucleares.

O Naval Group também possui expertise única na Europa na integração e implementação de um porta-aviões equipado com catapultas e freios de pouso, assim como seu grupo aéreo. A integração de mais de 200.000 equipamentos em 2.500 instalações, a produção de mais de 10.000 desenhos, a gestão de mais de 3.000 contratos e a montagem de 1.200 km de cabos e 300 km de tubulações exigem expertise de ponta. Essa expertise também cobre a integração dos sistemas de combate e navegação. Totalmente interconectado com unidades aliadas, o sistema de combate permite preparar, coordenar e conduzir as ações do porta-aviões e do grupo de aviação naval em tempo real. O sistema de combate também garante a autodefesa do navio e a segurança das comunicações internas e externas.

Além disso, o Grupo Naval domina a implementação da aviação de caça em porta-aviões com catapultas e cabos de contenção. A aeronave é o elemento central do porta-aviões, cuja função principal é a de uma base aérea móvel capaz de operar em todos os mares do globo.

Além disso, o Grupo Naval possui infraestruturas dedicadas a essas áreas de atuação. Para a propulsão nuclear, por exemplo, existe uma plataforma de teste para módulos turbo-alternadores nas instalações do Grupo Naval em Nantes-Indret. A empresa também possui plataformas de integração de sistemas de combate e sistemas de controle, além de uma ferramenta exclusiva para simulação de fluxos na cabine de comando de munições aeronáuticas combinada com visualização em realidade virtual.

O projeto do futuro porta-aviões garante a durabilidade de competências e empregos para toda a base industrial e tecnológica de defesa francesa

O desenvolvimento e construção do porta-aviões de nova geração representam um investimento de quase vinte anos, de 2021 a 2038. Após uma fase de esboço, o Grupo Naval e seus parceiros industriais serão agora responsáveis ​​por realizar um estudo preliminar de projeto de dois anos, que será seguido por estudos de projeto detalhados que irão finalmente preceder o desenvolvimento e construção do porta-aviões, um produto de rara complexidade.

O componente nuclear da propulsão, a implementação da aviação a bordo e a operação do porta-aviões de nova geração levarão o Grupo Naval a reforçar as habilidades-chave de engenheiros, técnicos e trabalhadores em todas as instalações do Grupo Naval: Lorient, Nantes-Indret, Toulon, Angoulême-Ruelle e Brest, bem como os dos seus principais parceiros Chantiers de l’Atlantique, TechnicAtome e Dassault Aviation.

Fonte: Naval Group

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.