SHANDONG, SEGUNDO PORTA-AVIÕES DA CHINA, CONCLUI OS TESTES E MISSÃO DE TREINAMENTO, PARA ESTAR PRONTO PARA O COMBATE NO FINAL DO ANO

(Xinhua/Li Gang)

O primeiro porta-aviões de fabricação nacional da China, o Shandong , completou testes regulares e missões de treinamento no mar que se concentraram no combate real depois de servir na Marinha do Exército de Libertação do Povo (PLA) por 10 meses, informou a China Central Television (CCTV) na terça-feira. 

O teste e o treinamento incluíram suporte de aviação, controle de danos e resposta de emergência, informou a CCTV, citando o capitão sênior Lai Yijun, comandante do navio.

Eles se concentraram no combate real e testaram com eficácia o desempenho das armas no navio, disse Lai. 

Os testes e treinamento mostram que o desempenho básico da transportadora melhorou, de acordo com Lai.  

Como o Shandong acabou de servir por menos de um ano, ainda está em treinamento básico para testar o desempenho de seu equipamento e aprimorar a pesquisa sobre as operações e o treinamento do navio, afirmou Zhang Junshe, pesquisador sênior do Instituto de Pesquisa de Estudos Militares Navais do PLA, ao Global Times na terça-feira. 

No futuro, o navio fará mais exercícios de coordenação com aeronaves e navios, bem como coordenação com outro grupo de ataque de porta-aviões, de acordo com Zhang.  

Shandong , o segundo porta-aviões do país, foi comissionado na Marinha do PLA em 17 de dezembro de 2019, em Sanya, província de Hainan, no sul da China. 

Veja também:

Em maio, a CCTV informou que o navio estava realizando missões de teste e treinamento no mar depois que os residentes locais viram o navio de guerra saindo de um estaleiro. 

Desde o surto do COVID-19, o porta-aviões não negligenciou o controle da epidemia, nem os testes e treinamento, já que o treinamento profissional foi realizado para marinheiros individuais, posições de batalha e departamentos, informou a CCTV.

O navio realizou sua primeira missão relatada em 26 de dezembro de 2019 após o comissionamento na semana anterior, durante a qual navegou pelo Estreito de Taiwan.

O navio de guerra baseado em Sanya vai e vem na região com frequência, já que esses trânsitos provavelmente se tornarão rotina, previram os especialistas do continente chinês.

Fonte: Global Times

27/10/2020

Você pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *