NOVA ZELÂNDIA ESCOLHE O C-130L SUPER HERCULES E DESCARTA K-390 DA EMBRAER E O A-400

CINGAPURA (Reuters) – A Nova Zelândia disse na terça-feira que selecionou o C-130J Super Hercules da Lockheed Martin Corp como o substituto preferido para cinco aeronaves de transporte militar C-130 Hercules, uma escolha alinhada com seus aliados mais próximos.

O gabinete buscará informações detalhadas sobre custos através do processo de venda militar estrangeira dos EUA, disse o ministro da Defesa da Nova Zelândia, Ron Mark, acrescentando que o governo havia estimado anteriormente o custo em mais de US $ 1 bilhão (US $ 659,50 milhões).

“Depois de considerar cuidadosamente a variedade de aeronaves militares de transporte aéreo, o Super Hercules foi selecionado por oferecer a capacidade necessária de alcance e carga útil, além de atender plenamente aos requisitos do NZDF”, disse ele em comunicado referente à Força de Defesa da Nova Zelândia.

“Precisamos de um desempenho comprovado, e esta aeronave é experimentada e testada. Não podemos correr riscos com uma das nossas capacidades militares mais críticas ”, afirmou Mark.

Uma porta-voz da Lockheed Martin disse que sua empresa estava animada em receber a Nova Zelândia na família de operadores C130-J. Estados Unidos, Reino Unido, Austrália e Canadá, aliados próximos da Nova Zelândia e colegas da rede de compartilhamento de inteligência Five Eyes, todos têm os aviões.

A Airbus SE propôs seu A400M e a Embraer SA lançou seu KC-390 para substituir os transportes Hercules do país na década de 1960, disseram fontes do setor com conhecimento do assunto.

Um porta-voz da Airbus disse que sua empresa respeitava a decisão da Nova Zelândia, mas acrescentou que o A400M havia se provado a serviço das principais forças aéreas do mundo.

A Embraer não respondeu imediatamente a um pedido de comentário.

Fonte: Reuters

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *