22 DE MAIO – DIA DA AVIAÇÃO DE PATRULHA – P-3AM ORION

No dia em que é comemorado o dia da Aviação de Patrulha escolhemos homenagear um das aeronaves que foi responsável pela modernização da patrulha aérea no Brasil, o P-3AM Orion. As 12 aeronave adquiridas pela FAB em 2011 estavam estocadas no deserto do Arizona, junto à Base Aérea de Davis-Monthan local extremamente seco, e por isso mesmo ideal para depositar aeronaves provenientes da USAF e US Navy, que apesar de aptas para o voo não interessavam mais devido ao ingresso de aeronaves mais modernas como o P-8 Poseidon.

Os doze P-3AM foram selecionados e enviados Airbus Military, em Getafe, na Espanha para serem revitalizadas e modernizados. Três deles porém, foram reservados para serem canibalizados, ou seja, para que peças deles sejam utilizadas nas aeronaves que estão operacionais.

O primeiro P-3AM a chegar em Salvador, Bahia no sábado 31 de julho de 2011, foi a aeronave de matrícula de final 03 e foi recepcionada sem cerimônia, apenas com a presença dos militares do 1º/7º Grupo – Esquadrão Orungan.

A Cerimônia de Incorporação viria depois, e contaria com a presença do Comandante da FAB, Junito Saito e do chanceler Celso Amorim

Passados nove anos da chegada da primeira aeronave os P-3AM realizaram testes de lançamento de bombas, sonobóias, torpedos (esperava-se que a FAB executasse o primeiro lançamento de torpedo MK-46 em 2016), cargas de profundidade, etc. Já em relação ao míssil antinavio, a FAB optou pelo AGM-84L Harpoon da Boeing (anteriormente McDonnell Douglas). Até o momento não houve anúncio de lançamentso, apesar dos mísseis já estarem no inventário da FAB e de termos recebido ajuda técnica da US Navy recentemente.

O AGM-84L possui 3,8 metros de comprimento e pesa 519 kg (a ogiva pesa 221 km), o seu turbofan garante uma velocidade de cruzeiro de 850 km/h.

Harpoon L-I BlockII Equadrão Orungan FAB

Em 2019, durante a realização da LAAD, a Akaer revelou o projeto de revitalização das aeronaves com o objetivo de estender a vida útil por mais alguns anos. Antes, esperava-se que um substituto do P-3AM fosse adquirido por volta de 2025. Segundo a Akaer, o foco da revitalização será:

“a substituição dos elementos da asa: revestimentos superiores, longarinas dianteiras e traseiras, painéis superiores dos caixões centrais asa/fuselagem – entre outras ações. Esse projeto evita a fadiga estrutural das asas”

Enfim, o P-3AM está ficando velho. As aeronaves adquiridas já tinham 46 anos de operação quando foram escolhidas no deserto do Arizona e no ano que vem completarão 56 anos. Falamos da aeronave em si, não da aviônica e dos seus modernos sensores. Qual será seu subtituto? O P-8 Poseidon? Aguardemos!

Por Graan Barros

Você pode gostar...

1 Resultado

  1. Souto. disse:

    Quantos P-3AM estão operacionais atualmente?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *