O QUE A EMBRAER É PARA O BRASIL?

O que a Embraer é para o Brasil? É a nossa maior indústria de tecnologia. Líder no segmento de aviões de até 140 passageiros e uma das lideres em aviões executivos e ainda tem o MELHOR avião de ataque leve do mundo o A-29 Super tucano. A empresa com sede em São José dos Campos – SP tem seus aviões voando nas cores das maiores empresas aéreas do mundo. O histórico de acidentes das aeronaves da Embraer é baixo se comparado a outras empresas de países como muito mais experiência no ramo da aviação como por exemplo a Rússia.


De onde então veio a idéia de entregar a nossa maior e mais moderna empresa Brasileira? A Airbus que é um conglomerado europeu comprou a canadense Bombadier, está é concorrente da Embraer nos segmentos de jatos regionais e executivos. Pois bem, com o negócio fechado entre europeus e canadenses, muito se falou que a injeção de capital para pesquisa e desenvolvimento de jatos regionais colocaria a Embraer em desvantagem frente aos aviões agora europeus.

Com isso posto, a Boeing se aproximou da Embraer querendo “socorrer” a empresa brasileira. A gigante americana na verdade quis comprar TODA a Embraer! Tal negocio foi impedido pelo o governo brasileiro, pois o mesmo fez uso da “golden share”.

A golden share é uma categoria de ações especiais que conferem ao seu detentor, além dos direitos comuns da ação ordinária, o direito ao veto em algumas questões estratégicas da companhia.Ainda assim, quem possui a golden share não tem necessidade de ser acionista majoritário para desfrutar desse benefício. A golden share é conhecida como um mecanismo utilizado pelos governos nos processos de privatização. O objetivo, com isso, é garantir que a empresa (que antes era parte do patrimônio estatal) não vá de encontro aos interesses nacionais ao ser entregue ao mercado privado.

O Estado brasileiro investe pesado na Embraer, mais precisamente na parte de defesa e segurança. Dentre os quais temos o projeto do Gripen NG, uma parceria com a sueca Saab para a montagem do caça sueco em território brasileiro. A versão E/F do Gripen é tida por especialistas como um dos caças mais avançado hoje no mundo. A Saab deixou bem claro que se a Boeing comprasse toda a Embraer a parceria firmada a empresa brasileiro seria desfeita. Claro, o caça sueco é um concorrente direto do caça da Boeing o F/A-18 Super Hornet em outras concorrências.

Com a intervenção corretíssima do governo brasileiro, a empresa de Seattle (a Boeing) então se virou para o nicho mais lucrativo da Embraer que são os seus E-jets. Com a historia de a Embraer sozinha não poder concorrer com a fusão entre os canadenses e europeus. Caímos é claro nessa coisa chamada de especulação financeira. Não há nenhuma evidencia que a empresa de São José dos Campos viria a falência ou passaria por problemas sérios para enfrentar tal concorrência, até por que a Embraer SOZINHA conseguiu se tornar a terceira maior fabricantes de aviões do mundo! Atrás apenas da Boeing e da Airbus!

Na “pior” das hipóteses a Embraer continuaria em seu honroso terceiro lugar, visto que os produtos Brasileiros na forma dos EMB-170, 175, 190 e 195 e como dito anteriormente são sucesso pelo mundo. A Embraer já está lançando a variante E-2 desses aviões. Variante essa que traz novos motores que aliados a uma nova aerodinâmica desenhada na Embraer geram uma maior eficiência, melhorando o consumo de combustível e um sistema Fly-by-wire produzido na própria Embraer! Tudo isso a Embraer fez a faz sozinha, com investimento próprio!

Como que um país e o seu povo podem admitir que uma empresa desse calibre seja vendida sob meras especulações? Especulação que é “a Investigação, análise ou pesquisa teórica sem fundamentos empíricos que se baseia, geralmente, no raciocínio abstrato”. Como damos de mão beijada a nossa MAIOR empresa de tecnologia assim para uma empresa como a Boeing? A Boeing não precisa da Embraer. A mesma possui diversos contratos com o governo americano. É líder no segmento de aviões de passageiros de grande porte com os seus Boeing 777 e 787!

Mesmo tendo vários problemas com o fracasso do Boeing 737 MAX, pode muito bem, se quiser, partir de um projeto do zero e produzir um avião para concorrer com os E-Jets e os CS Series(A220) da Airbus. Estamos falando da Boeing!

Aí como do nada, desiste da aquisição da Embraer alegando problemas contratuais! Conta outra! Sabemos que a pandemia da Covid-19 está causando prejuízos em todo o setor aéreo. Fabricantes e empresas aéreas demitiram e vão demitir mais funcionários. Por isso a Boeing desistiu da aquisição da Embraer. O que nos obriga a uma reflexão. O que é a Embraer para os estadunidenses? Uma peça de roupa legal que no momento está cara e que voltamos para comprar depois, é isso que é Embraer para eles! Tanto faz para a Boeing comprar ou não a Embraer.

E para nós brasileiros o que é a Embraer? Nós vamos mesmo entregar a nossa maior empresa de tecnologia, num primeiro momento, para depois o comprador devolvê-la como se fosse uma fruta que se pega, se olha e não achamos tão bonita para comprar? Quando a crise da Covid-19 acabar a e o setor aéreo votar ao normal, a Boeing fará outra investida na Embraer? O que é isso? Eles vêm aqui quando querem, compram o que querem, devolvem pra depois comprar de novo! Não estamos falando de uma peça de roupa ou de uma fruta que se compra utilizando determinados critérios, estamos falando da EMPRESA BRASILEIRA DE AERONÁUTICA, a nossa MAIOR EMPRESA DE TECNOLOGIA desse país! Temos que deixar de ser vira-latas! Vamos ter mais amor próprio pelo que é nosso!

Autoria: Fabiano Brum

Você pode ver outros textos do Fabiano Brum nos seguintes links:

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *