ESQUADRÃO RUMBA COMPLETA 73 ANOS

Esquadrão teve sua origem diretamente ligada à criação do Quinto Grupo de Aviação (5º GAV)

Nesta sexta-feira (24), O Esquadrão Rumba – Primeiro Esquadrão do Quinto Grupo de Aviação (1º/5º GAV), sediado na Ala 10, em Parnamirim (RN), completa 73 anos de história. O Esquadrão teve sua origem diretamente ligada à criação do Quinto Grupo de Aviação (5º GAV), quando era responsável pela formação de pilotos de bombardeio utilizando inicialmente as aeronaves North American B-25 “Mitchell” e, a partir de 1957, as aeronaves Douglas B-26 “Invader”.

Origem dos símbolos e histórico

Em 1950, foi realizada pelo 1º/5º GAV uma grande manobra que incluía missões de patrulha marítima e a participação da Marinha do Brasil com duas corvetas, que mantinham contato permanente via rádio com as aeronaves do Esquadrão. Para isso, foram atribuídos códigos de chamadas: a Torre de Controle de Natal era chamada “Flauta” enquanto as aeronaves do 1º/5º GAV eram chamadas “Rumba”, seguido do número do piloto em comando. Dado o entusiasmo gerado pelo sucesso das missões, a Unidade Aérea passou a ser conhecida como Esquadrão Rumba.

Em 1952, o Tenente Aviador Hugo Hélio Corrêa Bastos idealizou a “bolacha” – Distintivo de Organização Militar (DOM) – do Rumba, consolidando uma identidade que perdura até os dias atuais. Ela é composta por um galo de campina, ave típica do nordeste brasileiro, sobre uma bomba, identificando a tarefa principal do Esquadrão na época: uma Unidade Aérea de Bombardeio. Outros elementos também identificam o Esquadrão com a região, como o céu azul com uma camada de nuvens brancas, a expressão “Êta Cabra da Peste!”, o chapéu de vaqueiro e o coco verde.

Curso de Especialização Operacional



Atualmente, o 1º/5º GAV opera as aeronaves C-95M Bandeirante e, anualmente, ministra o Curso de Especialização Operacional (CEO) a uma parcela de Oficiais Aviadores formados na Academia da Força Aérea (AFA). O curso consiste em duas fases: Básica e Avançada. Na primeira, os estagiários do CEO aprendem a operar a aeronave Bandeirante, realizando missões de adaptação diurna e noturna, voo por instrumentos, navegação e voo de formatura. Na fase avançada, os estagiários realizam missões de treinamento específicas das aviações de Inteligência, Vigilância e Reconhecimento (IVR) e Transporte. Ao final do CEO, estão capacitados para compor equipagens operacionais e prontos para seguirem em suas carreiras nos diversos esquadrões da Força Aérea Brasileira.

“É uma alegria muito grande poder comemorar, junto com os integrantes de ontem e de hoje, mais um aniversário, nesta ‘melhor idade’ do Esquadrão Rumba. Berço dos pilotos de combate das aviações de Transporte, Inteligência, Vigilância e Reconhecimento, o 1º/5º GAV tornou-se uma referência entre os esquadrões da Força Aérea Brasileira. Com profissionalismo e focados na segurança da atividade aérea, ano a ano, instrutores, monitores e pessoal de apoio dedicam-se a capacitar jovens pilotos a operar modernas aeronaves e sistemas, preparando-os para as mais variadas Ações de Força Aérea. Pelas asas do Rumba, em uma das mais bonitas e importantes missões, jovens pilotos tornam-se combatentes e oficiais, iniciando sua vida profissional, além de chefes e líderes de nossa Força”, disse o Comandante da Ala 10, Brigadeiro do Ar Marcelo Fornasiari Rivero, ao enaltecer a importância da Unidade Aérea.

O Comandante do Esquadrão Rumba, Tenente-Coronel Aviador Ailton David Cabral Júnior, destacou o orgulho e a emoção de liderar a Unidade Aérea. “Parabéns a toda a família Rumba. O comando não se faz sozinho, tampouco os objetivos são alcançados sem um conjunto eficiente. Juntos, cumprimos com excelência a missão do Esquadrão de entregar para a Força Aérea Oficiais cada vez mais competentes”, ressaltou.



Fonte: 1º/5º GAV, por Tenente Matheus

Edição: Agência Força Aérea, por Tenente Fraga – Revisão: Major MonteiroFotos: Ten Gondim, Asp Yuri e Acervo/ 1º/5º GAV

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *