MAIS UM DESTRÓIER DOS EUA ENTRA NO MAR DO SUL DA CHINA ‘SOB PRETEXTO DA LIBERDADE DE NAVEGAÇÃO’

100707-N-3215T-028 YOKOSUKA, Japan (July 7, 2010) 1st Class Brock A. Taylor/Released)

Destróier USS McCampbell dos EUA navegou próximo das ilhas Paracel, reclamadas pela China, alegando operação de liberdade de navegação e suscitando enérgica reação da China.

As ilhas Paracel são um grupo de pequenas ilhas e recifes desabitados no mar do Sul da China, desde 1974 ocupadas militarmente pela China e reivindicadas igualmente por Vietnã e Taiwan.

Segundo informa o portal norte-americano Stars and Stripes, o USS McCampbell atravessou estas águas em disputa, alegando uma operação de manutenção de liberdade de navegação, pretexto a que recorre na zona pela segunda vez neste ano.

Para o porta-voz do Comando Sul do Exército chinês, coronel Li Huamin, citado pelo portal msn.com, tratou-se de uma provocação musculada “sob pretexto da liberdade de navegação […] que viola o direito internacional e […] ameaça à paz e estabilidade do mar do Sul da China”.

O Exército chinês contatou de imediato o navio e ordenou que deixasse as águas territoriais das ilhas.

Segundo referiu ao Stars and Stripes a porta-voz da 7ª Frota dos EUA, comandante Reann Mommsen, o direito marítimo internacional isenta de permissão a passagem inofensiva de navios dentro do limite territorial de 12 milhas.

O mar territorial e seus conceitos correlatos – zona contígua, zona econômica exclusiva e plataforma continental – são regulados pela Convenção das Nações Unidas sobre o Direito do Mar de 1982.

“As reivindicações marítimas ilegais e abusivas no mar do Sul da China representam uma ameaça sem precedentes à liberdade dos mares, incluindo as liberdades de navegação e sobrevoo e o direito de passagem inofensiva de todos os navios”, alegou Mommsen.

Já em janeiro, o navio de combate litorâneo USS Montgomery navegou perto das ilhas Spratly, outro arquipélago desabitado no mar do Sul da China, com mais de 750 ilhas, ilhéus, atóis e recifes e disputado por todos os países situados nas suas imediações.

O Montgomery, à época, navegou bem perto de ilhas onde a China tem instalações militares.

Em 1974, as forças chinesas expulsaram o Vietnã das ilhas Spratly e, desde então, têm aumentado sua presença militar no arquipélago.

Disputadas também por Brunei, Malásia, Filipinas, Taiwan e Vietnã, os EUA não reconhecem nenhuma soberania sobre as ilhas Spratly.

Fonte: Sputnik Brasil

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *