O EMPREGO DE CHAFFS E FLARES NO TREINAMENTO DA FRAGATA ALMIRANTE KASATONOV

A Marinha da Rússia realizou treinamento de guerra antiaérea com a Fragata “Almirante Kasatonov”, no Mar de Barents. Esse é o segundo navio do projeto 22350 “Almirante Gorshkov” e deverá ser incorporado a frota russa do Norte ainda este ano.

Durante esse exercício a tripulação do navio empregou, além dos meios de guerra eletrônica para despistar mísseis antinavio inimigos, os conhecidos sistemas de CHAFF e FLARE, sendo que os CHAFFs são chamarizes anti-radiofrequência (radar) feitos de alumínio em palhas. Já o flares, como o nome já adiante são pirotécnicos feitos de magnésio que produzem, logicamente, calor. O emprego dos dois é o ideal para se contrapôr a mísseis antinavio de guiagem radar e Infravermelho.

O objetivo é criar diversos alvos falsos (clones eletrônicos) para confundir a cabeça de busca do míssil inimigo. Esse sistema permite aumentar a chance de vida de um navio em até sete vezes. Esses meios de defesa permitem ocultar o navio em todo o espectro de comprimento de onda.

Anteriormente, a fragata Almirante Kasatonov realizou o exercício, agora com mísseis antiaéreos do sistema Polymen-Redut que consiste em três tipos de mísseis lançados verticalmente: o 9M100 (alcance de até 15 km), 9M96 (até 120 km) e 9M96D (até 150 km), capazes de atingir velocidades de até 2100 km/h.

O Brasil fabrica o sistema de lançamento de chaffs, mas, infelizmente, não temos imagens disponíveis de navios da Marinha Brasileira realizando esse tipo de exercício, que é de grande beleza visual.

Por Graan Barros

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *