EUA E TALIBAN ASSINAM ACORDO DE PAZ NO AFEGANISTÃO E ESTABELECEM CONDIÇÕES PARA RETIRADA DE TROPAS

Washington e o movimento talibã assinaram um acordo que estabelece condições para a retirada das tropas dos EUA e da OTAN do Afeganistão.

O acordo foi assinado pelo enviado de paz dos EUA para o Afeganistão Zalmay Khalilzad e um dos líderes seniores do Taliban, o mulá Abdul Ghani Baradar, na capital do Catar, Doha, no sábado.

O acordo permitirá que Washington e seus aliados retirem suas tropas de cinco bases no Afeganistão nos próximos 135 dias. Os soldados americanos restantes deixarão o país em 14 meses se o Taliban cumprir seus compromissos.

O documento estabelece as bases para futuras negociações entre o Taliban e o governo afegão, com o objetivo de trazer uma paz duradoura ao país. Os EUA concordaram em facilitar as negociações e suspender as sanções dos membros do Taliban até agosto, desde que as negociações iniciem conforme o planejado. O líder do Taliban, Hibatullah Akhundzada, pediu a todos os seus combatentes que honrassem e respeitassem o acordo.

Os governos dos EUA e do Afeganistão disseram anteriormente que o acordo de paz incluirá garantias de que o território afegão não será usado por grupos terroristas para atacar os EUA e seus aliados.

Além disso, Washington e Cabul chegaram a um acordo de troca de prisioneiros com o Taliban até 10 de março, prometendo libertar até 5.000 e 1.000 pessoas, respectivamente.

Chamando o acordo de “um passo decisivo em direção à paz real no Afeganistão”, o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, falou sobre as vitórias contra a Al-Qaeda, o grupo por trás dos ataques de 11 de setembro.

“A Al-Qaeda hoje é uma sombra de seu antigo eu. Dizimamos sua liderança e agora temos o Talibã concordando que a Al-Qaeda nunca mais deve encontrar refúgio no Afeganistão”, afirmou.

A coalizão liderada pelos EUA invadiu o Afeganistão em 2001 após os ataques terroristas de 11 de setembro, expulsando o Talibã da capital do país, Cabul e de outras grandes cidades. Os anos que se seguiram viram prolongados combates e ressurgimento de militantes. No final, as autoridades de Washington concordaram com relutância em manter conversações de paz com o Taleban, que parou várias vezes.

Fonte: RT

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *