TRUMP AMEAÇA EUROPEUS COM AUMENTO DE TARIFAS, CASO NÃO O APOIEM CONTRA O IRÃ

Segundo o jornal americano “The Washington Post”, o presidente dos Estados Unidos Donald Trump ameaçou secretamente impor tarifas de 25% sobre os automóveis europeus, caso não ameaçassem o Irã com a retirada do Joint Comprehensive Plan of Action (JCPOA), como é conhecido o acordo nuclear com o Irã, assinado em 2015 com Estados Unidos, nações europeias, China e Rússia. As ações de Trump não poupam nem seus aliados europeus que já estão perdendo muito com as sanções unilaterais americanas.

Logo após a assinatura do acordo, diversas empresas europeias e americanas fizeram literalmente fila no Ministério das Relações Exteriores do Irã, ávidas para fechar contratos com empresas iranianas e com o próprio governo. Sabidamente, o Irã possui uma economia mais dinâmica e um mercado consumidor maior que a de outros países do Oriente Médio. O longo período sob severas sanções sucateou a indústria que necessita urgentemente de novos equipamentos para se modernizar.

Leia também:

Entretanto, Donald Trump só enxerga o próprio umbigo e em maio de 2018, retirou os Estados Unidos do JCPOA, afirmando que teria sido mal feito e que favorecia o Irã. Os despachos da diplomacia britânica contam uma outra história, de que o acordo seguia sem problemas, mas que Donald Trump preferiu vandalizá-lo conscientemente. Um dos memorandos do Sir Kim Darroch, diplomata sênior britânico, diz que: “o governo está determinado a um ato de vandalismo diplomático, aparentemente por ideologia e personalidade – por ser um acordo de Obama”.

Sob o ponto de vista técnico também não havia problemas, o país persa não parece ter tentado burlar o acordo. É o que afirmou a Agência Internacional de Energia Atômica, que monitora o uso pacífico da energia nuclear no mundo. Seu diretor Yukiya Amano, em entrevista a CBS afirmou que o Irã cumpria seu compromisso e as inspeções programadas estavam sendo realizadas normalmente, sem impedimentos. Ou seja, os motivos da retirada dos Estados Unidos não são lógicos nem verdadeiros, são Trumpistas.

A pressão americana feita aos europeus parece ter surtido efeito, pois o primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnsonn, que sempre mostrou boa vontade com o Irã, passou a defender um “acordo Trump” para substituir o JCPOA, e ontem, o mesmo Reino Unido, juntamente com França e Alemanha resolveram pressionar o Irã pelo descumprimento do acordo. Ora, que não cumpre o acordo são os Estados Unidos. A justa resposta iraniana não demoraria com o twitter do Ministro das Relações Exteriores iraniano na ONU, Mohammad Javad Zarif:

“Apaziguamento confirmado. A E3 vendeu os restos do JCPOA para evitar novas tarifas de Trump. Não vai funcionar, meus amigos. Você apenas aguça o apetite dele. Lembra do valentão do ensino médio? Se você deseja vender sua integridade, vá em frente. Mas NÃO assuma um terreno moral / legal alto. VOCÊ NÃO TEM.

Por Graan Barros

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *