F-35 DE ISRAEL EXPÕE ACIDENTALMENTE LOCALIZAÇÃO DE INSTALAÇÕES NUCLEARES DO PAÍS

Um caça stealth F-35 da Força Aérea de Israel se expôs a radares de rastreamento de aeronaves civis internacionais enquanto sobrevoava o Centro de Pesquisa Nuclear Shimon Peres no Negev, informou a Ynet na noite de segunda-feira.

Segundo a fonte, a aeronave se expôs a uma altitude de 31.000 pés sobre a instalação nuclear quando o piloto ligou um transponder não criptografado, tornando o mais novo jato de combate de Israel visível em radares de vôo civil.

Aeronaves militares usam códigos “Squawk” para comunicar informações ao realizar operações militares, com os três códigos principais 7500, o que significa seqüestro; 7600, o que significa erro de transmissão e 7700, o que significa emergência. A aeronave exposta transmitiu o código Squawk 7600, que significa erro de transmissão. A Unidade de Porta-vozes da IDF comentou o incidente, dizendo que “durante um voo de treinamento de rotina em uma área de treinamento no sul, um defeito foi descoberto no transponder da aeronave. 

O jato furtivo F-35 da IAF visto em um radar de voo civil internacional (Crédito: FLIGHTRADAR24 / SCREENSHOT)
O jato furtivo F-35 da IAF visto em um radar de voo civil internacional (Crédito: FLIGHTRADAR24 / SCREENSHOT)

“Para se comunicar com a outra aeronave que participou do treinamento, o piloto ativou o sistema de detecção da aeronave para que a outra aeronave pudesse reconhecê-lo sem se comunicar com o piloto”, afirmou a unidade. A IDF acrescentou que “o sistema de rastreamento é operado a critério do piloto e o incidente não foi um evento excepcional”.


Segundo Ynet, um incidente semelhante ocorreu em 2018, quando um jato da IAF se expôs a radares civis que voavam sobre a costa de Israel em direção à Síria. Acreditava-se que a exposição era intencional e deveria enviar uma mensagem ao Hezbollah do Líbano.

A IAF realizou um exercício militar nesta semana no Aeroporto Internacional de Ramon, no Vale Timna, no deserto de Arava, no sul de Israel. Quatro das aeronaves Ilyushin Il-76 da Força Aérea Russa também participaram do exercício.

De acordo com a IDF, “o exercício foi planejado com antecedência, como parte do programa de exercícios militares de 2020, destinado a preservar o estado de alerta da força e sua eficiência”.

Fonte: The Jerusalem Post

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *