COMANDANTE GUARDA REVOLUCIONÁRIA IRANIANA FOI ASSASSINADO POR ORDEM DE TRUMP

TEERÃ (Tasnim) – Comandante da Força Islâmica Quds, Qassem Soleimani, comandante do Corpo de Guardas da Revolução Islâmica (IRGC), e Abu Mahdi al-Muhandis, o segundo em comando das Unidades de Mobilização Popular (PMU) do Iraque, foram martirizados em ataques aéreos nos EUA. a capital iraquiana Bagdá.

O IRGC anunciou em comunicado na manhã de sexta-feira que o major-general Soleimani e al-Muhandis foram martirizados no ataque realizado por helicópteros dos EUA.

O grupo pró-governo iraquiano também confirmou o incidente.

“O vice-chefe do Hashed, Abu Mahdi al-Muhandis, e o chefe da Força Quds, Qassem Soleimani, foram mortos em um ataque norte-americano que atingiu seu carro na estrada do Aeroporto Internacional de Bagdá”, disse um comunicado na sexta-feira.

“O inimigo americano e israelense é responsável por matar os mujahiden Abu Mahdi al-Muhandis e Qassem Soleimani”, disse Ahmed al-Assadi, porta-voz da PMU.

O grupo havia dito anteriormente que seu diretor de relações públicas Mohammed Reza al-Jaberi e quatro outros membros do grupo também foram mortos depois que três foguetes Katyusha atingiram uma base militar ao lado do Aeroporto Internacional de Bagdá, na capital iraquiana.

O departamento de mídia das forças voluntárias – também conhecido pela palavra árabe Hashd al-Sha’abai – descreveu o ataque da manhã de sexta-feira como um “bombardeio covarde dos EUA”, informou a Press TV.

Os foguetes aterrissaram perto do terminal de carga aérea, queimando dois veículos e ferindo várias pessoas, disse a Cell Media Security do Ministério do Interior do Iraque em comunicado anterior.

Logo após o ataque, autoridades americanas, falando sob condição de anonimato, disseram à Reuters que os ataques foram realizados contra dois alvos ligados ao Irã em Bagdá. Os funcionários se recusaram a dar mais detalhes.

Enquanto isso, fontes de segurança, falando sob condição de anonimato, disseram à AFP que oito pessoas foram mortas no ataque.

O desenvolvimento ocorreu quando as forças armadas dos Estados Unidos disseram no domingo que realizaram ataques no oeste do Iraque contra o grupo Kataa’ib Hezbollah, que faz parte da PMU pró-governo.

Fontes de segurança iraquianas disseram que pelo menos 25 combatentes foram mortos e pelo menos 55 ficaram feridos após os ataques aéreos.

Altas autoridades iraquianas também condenaram o ataque dos EUA contra as posições do Kataa’ib Hezbollah como uma “violação da soberania iraquiana”

O primeiro ministro interino do Iraque, Adel Abdul Mahdi, chamou a medida de “uma escalada perigosa que ameaça a segurança do Iraque e da região” em um comunicado no domingo.

Abdul Mahdi disse que o secretário de Defesa dos EUA, Mark Esper, telefonou para ele meia hora antes dos ataques dos EUA para lhe falar das intenções dos EUA de atingir as bases do Hezbollah do Kataib. Ele disse que pediu a Esper para cancelar os planos dos EUA.

O presidente interino do Iraque, Barham Salih, também condenou o ataque.

Os ataques dos EUA provocaram uma onda de condenação de autoridades e movimentos em toda a região e provocaram furiosos protestos públicos do lado de fora da embaixada dos EUA em Bagdá.

O Pentágono disse que os atentados foram uma resposta aos ataques contra as forças americanas perto da cidade iraquiana de Kirkuk, no norte do Iraque, na semana passada, que teria matado um empreiteiro civil americano e ferido quatro membros do serviço americano, além de dois membros das forças de segurança iraquianas. . Os EUA acusaram o grupo Kataa’ib Hezbollah de estar por trás do ataque.

Fonte: Tasnim

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *