google.com, pub-9763613062442243, DIRECT, f08c47fec0942fa0

“BOEING 737 MAX FOI PROJETADO POR PALHAÇOS E SUPERVISIONADO POR MACACOS”, AFIRMARAM FUNCIONÁRIOS DA BOEING

Um funcionário da Boeing que estava discutindo por e.mail questões de gerenciamento de vôo do Boeing 737 MAX disse que a aeronave foi projetada por palhaços, mostrou um memorando interno da empresa. O 737 MAX foi suspenso no início deste ano, depois de acidentes consecutivos na Etiópia e na Indonésia que mataram 346 pessoas.

“Este avião é projetado por palhaços que, por sua vez, são supervisionados por macacos”, disse um funcionário da Boeing a um colega, conforme um dos memorandos internos divulgados pela empresa. Os memorandos da Boeing destacam as alegações de amplos esforços para evitar o escrutínio durante o desenvolvimento do avião.

A troca ocorreu em 2017, conforme os documentos. Outro funcionário perguntou a um colega em 2018, oito meses antes do primeiro acidente: “Você colocaria sua família em uma aeronave treinada no simulador MAX? Eu não” O segundo funcionário da conversa disse que não.



Um email do piloto técnico chefe da Boeing 737, cujo nome foi omitido, parecia sugerir que a Boeing forçaria os reguladores estrangeiros a sair de um plano para fazer do treinamento em simulador um requisito técnico. “Quero enfatizar a importância de manter firme que não haverá nenhum tipo de treinamento em simulador necessário para fazer a transição do NG para o MAX … A Boeing não permitirá que isso aconteça. Vamos ficar cara a cara com qualquer regulador que tentar fazer disso um requisito “, afirmou o piloto, segundo a Reuters.

Em outro caso, um funcionário suspira com a cultura doentia da empresa. “Nos colocamos em uma posição impossível, escolhendo o fornecedor de menor custo e assinando horários impossíveis”, disse o funcionário sobre o simulador 737 MAX fornecido pela TRU Simulation + Training.

Denunciante no Boeing 787 Dreamliner

Em novembro de 2019, um denunciante disse em uma revelação alarmante que os testes revelaram que até 25% dos sistemas de oxigênio nas aeronaves Boeing 787 Dreamliner podem não funcionar quando necessário. O denunciante John Barnett também disse que peças defeituosas foram ‘deliberadamente’ montadas em aviões em uma fábrica da Boeing. A Boeing negou as alegações, dizendo que todos os aviões estão em conformidade com os mais altos padrões de segurança e proteção

Principais acusações de denúncias contra o Dreamliner

  • Barnett diz que a Boeing comprometeu-se com a segurança na corrida para colocar a aeronave na linha de produção.
  • Ele descobriu problemas em sistemas de oxigênio de emergência já em 2016.
  • Ele descobriu durante o processo de descomissionamento que algumas garrafas de oxigênio não estavam descarregando quando deveriam fazê-lo.
  • Dos 300 sistemas testados, 75 não foram implantados corretamente
  • Barnett diz que seus esforços para resolver o problema foram impedidos pelos gerentes da Boeing
  • Barnett alega que a Boeing forçou trabalhadores sob pressão a instalar peças abaixo do padrão

737 MAX falha

O primeiro acidente ocorreu em outubro do ano passado, quando um Boeing 737 Max operado pela Lion Air caiu matando todas as 189 pessoas. O segundo acidente ocorreu cinco meses depois, quando um avião da Ethiopian Airlines caiu, matando 157 pessoas.

A Boeing demitiu no mês passado seu diretor executivo Dennis Muilenburg após um ano desastroso que viu o fabricante de aeronaves enfrentar uma série de contratempos. O movimento da Boeing veio em face da ação iminente dos reguladores após as irregularidades em torno das aeronaves 737 Max.

Também em dezembro, diante da crise de caixa, a Boeing suspendeu a produção comercial de 737 jatos. A decisão foi anunciada depois que a Administração Federal de Aviação se recusou a permitir que as companhias aéreas voassem antes de 2020. É a primeira vez em mais de 20 anos que a Boeing está interrompendo a produção.

Fonte: IBTimes

Facebook Comments


Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Close