GUERRA NAS ESTRELAS: TRUMP ASSINA LEI QUE CRIA A FORÇA ESPACIAL DOS ESTADOS UNIDOS

O presidente Donald J. Trump assinou uma lei criando o primeiro novo serviço armado desde 1947 – a U.S. Space Force, em português: Força Espacial dos EUA.

Trump assinou a Lei de Autorização de Defesa Nacional durante uma cerimônia em Joint Base Andrews, Maryland, hoje. A autorização de US $ 738 bilhões do ano fiscal de 2020 financia aumentos de salários militares e civis, novas aeronaves, construção de navios, tanques e veículos blindados e muito mais.

Defense Secretary Mark T. Esper attends the National Defense Authorization Act signing by President Donald J. Trump at Joint Base Andrews, Md., Dec. 20, 2019. (DoD photos by Army Staff Sgt. Nicole Mejia)

Desde a posse de Trump, houve quase US $ 2,5 trilhões em gastos com defesa.

Uma disposição da volumosa lei criou o serviço que será totalmente focado na organização, treinamento e equipamento da Força Espacial, disse a secretária da Força Aérea Barbara Barrett durante um briefing anterior do Pentágono.

“O espaço é o mais novo domínio de combate no mundo”, disse Trump em Andrews. “Em meio a graves ameaças à segurança nacional, a superioridade americana no espaço é absolutamente vital. Estamos liderando, mas não lideramos o suficiente e, em breve, lideraremos muito”.

A Força Espacial ajudará os Estados Unidos a deter a agressão e controlar o terreno mais alto, disse o presidente.

O novo serviço unirá imediatamente todos os membros do Comando Espacial da Força Aérea no novo serviço, disse Barrett. “Estamos avançando com entusiasmo e de acordo com a direção presidencial, a legislação do Congresso e a orientação do Departamento de Defesa”, afirmou. “O pessoal designado para a sede inicial da Força Espacial localizada no Pentágono agora assumirá o planejamento da Força Espacial”.

O general da Força Aérea John “Jay” Raymond, comandante do Comando Espacial dos EUA, dirigirá o esforço. O presidente nomeou Raymond o chefe de operações espaciais e o general será membro do Estado-Maior Conjunto.

O novo serviço enfatiza a importância que a nação coloca no espaço para a segurança dos EUA e dos aliados, disse Raymond.

O Comando Espacial, um comando combatente, não desaparecerá. Será o braço de guerra do DOD no espaço. A Força Espacial, como os serviços em outros domínios, será responsável por organizar, treinar e equipar a missão.

“O Comando Espacial dos EUA será tão forte quanto as capacidades fornecidas pela Força Espacial dos Estados Unidos”, disse Raymond. “Não se engane, os Estados Unidos são os melhores do mundo no espaço hoje. Consistente com a nossa Estratégia de Defesa Nacional, a Força Espacial dos Estados Unidos garantirá que competimos, dissuadamos e vencemos de uma posição de força, garantindo nossa maneira de vida e nossa segurança nacional “.

O novo serviço é pequeno para os padrões do Departamento de Defesa, com cerca de 16.000 funcionários da Força Aérea – serviço ativo e civis – para começar. “Eles serão efetivamente a Força Espacial imediatamente”, disse Barrett.

Raymond disse que há muitas ações que terão que ocorrer – de uniforme, a um logotipo, a quem está na Força Espacial e quem não está na Força Espacial.

Eles também renomearão algumas bases da Força Aérea para refletir as novas missões, disse ele.

Fonte: Deptº de Defesa dos EUA

Jim Garamore – 20/12/2019

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.