US NAVY BATE QUILHA DO USS JACK H. LUCAS, PRIMEIRO DESTRÓIER DA CONFIGURAÇÃO “FLIGHT III”

160830-N-LV331-005 WASHINGTON (Aug. 30, 2016) A graphic representation of the future USS Jack H. Lucas (DDG 125). (U.S. Navy photo by Mass Communication Specialist 1st Class Armando Gonzales/Released)

PASCAGOULA, Miss. (NNS) – Em um marco histórico para o programa DDG 51, a quilha do primeiro destróier Flight III, o futuro USS Jack H. Lucas (DDG 125), foi cerimoniosamente colocada e autenticada no estaleiro Huntington Ingalls, 7 de novembro.

Ruby Lucas e Catherine B. Reynolds, patrocinadoras do navio, autenticaram a quilha gravando suas iniciais na placa da quilha. Embora o início oficial da fabricação tenha começado em maio de 2018, a autenticação da quilha do navio simbolicamente reconhece a junção de componentes modulares e representa o início cerimonial do navio.

“Este destróier recebeu o nome de um herói americano, Jack Lucas, ganhador da Medalha de Honra, e sinto-me honrado e honrado por estar aqui hoje ao bater a quilha em seu navio homônimo”, disse o capitão Seth Miller, gerente do programa de classe DDG 51 Navios do Escritório Executivo do Programa (PEO). “Os navios do Flight III trarão maior letalidade e capacidade de combate aos nossos combatentes, e o marco de hoje é o primeiro de muitos que virão, enquanto trabalhamos para entregar este navio altamente capaz à frota”, acrescentou. 

O DDG 125 será o primeiro destróier da classe Arleigh Burke construído na configuração Flight III, com capacidades aprimoradas para executar guerra antiaérea e defesa contra mísseis balísticos em apoio à missão Integrated Air and Missile Defense.

O projeto do Flight III contém modificações da classe DDG 51 anterior, para habilitar o radar SPY-6, em associação com o Aegis Baseline 10, que inclui matrizes maiores digitalizadas eletronicamente e os equipamentos de geração e refrigeração necessários para operar o novo e poderoso radar. 

Esses combatentes de superfície com múltiplas missões servem como ativos integrais na segurança marítima global, envolvendo-se na defesa de mísseis, submarinos, meios de superfície, contra-ataques de mísseis balísticos, além de fornecer recursos aprimorados em guerra antisubmarina, comando e controle e guerra antisuperfície.

O estaleiro Pascagoula da HII também está atualmente em produção nos destróieres de mísseis guiados Delbert D. Black (DDG 119), Frank E. Petersen Jr. (DDG 121) e Lenah H. Sutcliffe Higbee (DDG 123), navios de assalto anfíbios Tripoli (LHA) 7) e Bougainville (LHA 8), e os navios-docas de transporte anfíbio Fort Lauderdale (LPD 28) e Richard M. McCool Jr. (LPD 29).

Como uma das maiores organizações de aquisições do Departamento de Defesa, a PEO Ships é responsável pela execução do desenvolvimento e aquisição de todos os destróieres, navios anfíbios, navios especiais de missão e apoio, barcos e embarcações.

Fonte: US Navy

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *