APÓS GILBRALTAR LIBERAR PETROLEIRO DO IRÃ, EUA EMITEM ORDEM DE APREENSÃO

Os EUA ordenaram a apreensão do recém-libertado petroleiro iraniano ‘Grace 1’, acusando o navio de usar ilegalmente o sistema financeiro dos EUA para vender petróleo à Síria para apoiar o IRGC depois que Gibraltar libertou o navio.

O Departamento de Justiça liberou um mandado ordenando a apreensão e a apreensão do petroleiro iraniano, todo o petróleo que está carregando, bem como US $ 995.000. Ele alega que os iranianos usaram ilegalmente o sistema bancário dos EUA para financiar o envio de petróleo à Síria para apoiar o Corpo dos Guardas da Revolução Islâmica (IRGC), que os EUA designaram um grupo terrorista no início deste ano, como a “pressão máxima” de Washington contra Teerã. Aumentada.

Acusando a empresa de violações das leis de fraude bancária e lavagem de dinheiro, a Lei de Poder Econômico Internacional de Emergência e estatutos de terrorismo, a denúncia dos EUA alega que “múltiplas partes afiliadas ao IRGC” usaram viagens como a de “Grace 1” para apoiar atividades ilegais. Alega que “uma rede de empresas de fachada” lavou milhões de dólares através dessas remessas.



Gibraltar libertou o petroleiro iraniano depois de afirmar receber uma garantia por escrito do seu capitão de que o navio não estava vinculado à Síria, como os marines britânicos que o apreenderam no mês passado haviam alegado, embora o Irã tenha negado tal garantia. Apesar dos vários pedidos formais dos EUA e tentativas de impedir a saída dos tribunais – que o embaixador do Irã no Reino Unido chamou de “esforços desesperados de última hora” – a “Grace 1” foi finalmente autorizada a deixar o território britânico.

O navio foi rebatizado de ‘Adrian Darya’ e equipado com uma bandeira iraniana para sua jornada posterior, a pedido de seu proprietário, de acordo com a mídia estatal iraniana. Enquanto isso, os EUA alertaram sobre “sérias consequências ” para sua tripulação – embora essas conseqüências pareçam estar limitadas a impedi-las de viajar para os EUA.

Gibraltar suspendeu a ordem de detenção da embarcação na quinta-feira, afirmando em comunicado que “não há mais motivos razoáveis ​​para a continuação da detenção legal da ‘Graça 1’ a fim de garantir o cumprimento do Regulamento de Sanções da UE”.

Fonte: RT

Facebook Comments


Compartilhe
Close