TRUMP PISA EM SOLO NORTE-COREANO EM CÚPULA SURPRESA IDEALIZADA POR KIM JONG-UN

President Donald Trump meets with North Korean leader Kim Jong Un at the border village of Panmunjom in the Demilitarized Zone, South Korea, Sunday, June 30, 2019. (AP Photo/Susan Walsh)

O presidente dos EUA, Donald Trump, fez história duas vezes no domingo: ele se tornou o primeiro presidente dos Estados Unidos, que visitou a Coréia do Norte, e participou da primeira cúpula entre Estados Unidos e Coréia do Norte, embora tenha durado apenas alguns minutos. Além disso, a terceira reunião de Trump-Kim, longe de ter qualquer resultado histórico, acabou apenas com os lados concordando em criar um grupo de trabalho para romper o impasse, escreve Kommersant. Trump convocou a cúpula entre os EUA e a Coréia do Norte em 24 horas, informando Kim sobre seu desejo de se encontrar no Twitter.

A reunião dos dois líderes na zona desmilitarizada foi tão simbólica quanto a troca de cartas, escreve o Kommersant. “Donald Trump mostrou que pode se reunir com Kim Jong-un apenas com uma ligação e não está em uma necessidade extrema de mediadores, que Moon Jae-in e Xi Jinping esperavam se tornar”, disse o instituto ASAN da Coreia do Sul. Estudos Go Myong-Hyn disse ao jornal. “Manter relações pessoais com Donald Trump continua sendo uma tarefa importante para Kim Jong-un.” Essas reuniões podem acontecer novamente, mas isso pode afetar negativamente a reputação do líder norte-coreano, que mostra que o presidente dos EUA pode aproveitar livremente seu tempo, observou o especialista.

Falando sobre a falta de progresso na desnuclearização da península coreana, especialistas entrevistados pelo Kommersant disseram que nos últimos 18 meses, a Coréia do Norte fortaleceu seus laços com a China, e isso abriu novas oportunidades para Pyongyang. 

Em 20 de junho, o presidente chinês Xi Jinping fez a primeira visita de estado à Coréia do Norte, prometendo apoio ao vizinho. “Graças a este passo, a Coréia do Norte e a China estão melhorando suas posições de negociação com os EUA”, disse Andrey Lankov, especialista da Universidade Kookmin, em Seul. Pequim mostrou que a guerra comercial precisa ser encerrada, caso contrário, nenhuma pressão sobre a Coréia do Norte funcionará. Pyongyang está demonstrando que não está encurralada e não está correndo para atender todas as demandas de desarmamento de Washington.

Fonte: Kommersant

Você pode gostar...