HOUTIS ABATEM MQ-9 REAPER NO IÊMEN E EUA TENTAM VINCULAR INCIDENTE AO ATAQUE A PETROLEIROS

  • Sa6_1
  • MQ-9 Reaper abatido no Iémen

O porta-voz do Comando Central do Departamento de Defesa dos Estados Unidos (CENTCOM) emitiu a seginte declaração sobre o MQ-9 Reaper abatido no Iemen:

TAMPA, Flórida, 16 de junho de 2019

Um MQ-9 dos EUA foi abatido sobre o Iêmen pelo que consideramos ser uma plataforma Houthi SA-6 para mísseis antiaéreos em 6 de junho de 2019. A altitude do engajamento indicou uma melhoria em relação à capacidade Houthi anterior, que avaliamos ter sido permitida por Assistência iraniana.



Em 13 de junho de 2019, de acordo com nossa avaliação, um míssil superfície-ar Iraniano modificado SA-7 tentou abater um MQ-9 dos EUA sobre o Golfo de Omã para interromper a vigilância do ataque do IRGC ao Navio-tanque Kokuka Courageous. O MQ-9 chegara minutos antes, às 6h20, hora local, no navio-tanque (M / T) Altair, e observara o navio em chamas. 

O SA-7 foi ineficaz e seu ponto mais próximo de aproximação ao MQ-9 foi de aproximadamente um quilômetro. 

A análise subsequente indica que esta foi uma tentativa provável de abater ou interromper a vigilância MQ-9 do ataque IRGC ao Navio-tanque Kokuka Courageous.

Tenente-coronel Earl Brown, porta-voz do Comando Central dos EUA

MQ-9 Reaper

Segundo especificações do fabricante, O MQ-9 possui teto opercaional máximo de 15.240 m ou 50.000 pés.

O 2K12 “Kub” (designado SA-6 pela OTAN) é um sistema de defesa antiaéreo desenvolvido no período da União Soviética, mas que continua em operação na própria Rússia, Síria, Ucrânia, Cuba, Índia e Egito.

Já o SA-7, mencionado no ataque do dia 13, é manpad Igla operado, inclusive pelo Exército Brasileiro e FAB.

Por Graan Barros

Facebook Comments


Compartilhe
Close