IRÃ VAI ENVIAR NAVIOS AO ATLÂNTICO NO ANO NOVO PERSA

  • Destroyer Sahand (Irã)
  • A fragata iraniana Alvand (R) atraca em Port Sudan com o navio de abastecimento Bushehr em 6 de maio de 2014, um de um número crescente de desdobramentos navais fora do Golfo
  • Flotilha iraniana
  • Navio tanque e de apoio logístico 431 Kharg

Como é comum as marinhas do mundo, o Irã vai enviar uma flotilha em uma missão que deve durar cinco meses para visitar nações amigas, só que desta vez não ficará somente restrita ao Golfo, mas vai se aventurar no oceano Atlântico, informaram militares iranianos a agência de notícias Fars, no sábado.

“Há anos (2010), a Marinha tem um plano para desdobrar uma flotilha no Oceano Atlântico e parece que tudo está preparado para lançar essa missão agora”.



A missão começará no dia 21 de março de 2019 (início do ano novo persa).

A flotilha incluirá o navio “Sahand”, (versão da fragata classe Vosper MK5) que foi classificado como destroyer pela marinha iraniana, apesar do navio deslocar apenas 2.000 toneladas, medir 96 metros, ter uma boca de 10 metros e calado de 3,5 metros, ou seja, dimensões de uma corveta ou no máximo fragata leve. A corveta “Barroso” da Marinha do Brasil desloca 2.400 toneladas. O “Sahand” foi contruído durante um período de severas sanções econômicas, após a saída unilateral dos Estados Unidos do Acordo Nuclear com Irã, mas mesmo assim, parece ser melhor artilhado que a Barroso e com elevado índice de conteúdo nacional.

Segundo a Marinha do Irã, o navio conta com um canhão principal 76 mm polegadas “FAjr-27” (na verdade uma versão do Oto Melara não-licenciada), Dois lançadores duplos de misseis anti-navio Qader com alcance estimado de 200 km, um sistema de defesa antiaérea de ponto CIWS 40mm “Kamand”, dois lançadores triplos de torpedos 324 mm e metralhadoras 12,7 mm para guerra assimétrica. O design do navio parece mais limpo que o das fragatas anteriores, talvez melhorando a seção reta radar.

Sobre os sensores embarcados também sabe-se pouco, mas os técnicos iranianos afirmam que o navio possui radar de busca 3D e sistemas de guerra eletrônica (EW) avançados. O Sahand possui a capacidade de operar aeronaves Sikorsky CH-53 Sea Stallion, ou Bell-Agusta 212, helicópteros médios, comprados antes da revolução. Porém não existe hangar no navio para abrigá-los como podemos conferir no vídeo e nas fotos.

O recentemente modernizado navio tanque/ apoio logístico “Kharg” fará parte da flotinha que deve visitar entre outros países, a Venezuela.

Por Graan Barros

Facebook Comments


Compartilhe
Close