DRONES ISRAELENSES AJUDARÃO A AGRICULTURA BRASILEIRA APÓS ACORDO MULTIMILIONÁRIO

  • Bird Eye 650D

No primeiro negócio desse tipo, a Israel Aerospace Industries fornecerá sistemas de drone e análise de dados, enquanto o Santos Lab, do Brasil, operará os drones.

A Israel Aerospace Industries (IAI) assinou um acordo com a empresa brasileira Santos Lab para usar drones israelenses em auxílio à agricultura em grande escala.

Na primeira transação do gênero, a IAI fornecerá sistemas de drone e análise de dados, enquanto a Santos Lab operará os próprios drones, informou o site de notícias de negócios israelense Globes.



O drone Bird Eye 650D será usado para monitorar culturas e florestas comerciais, bem como analisar as culturas e as condições do solo. Os dados serão alimentados em um serviço de nuvem e submetidos a análises de alta precisão. Ele se tornará operacional no final de 2019.

O vice-presidente executivo da IAI Moshe Levy disse sobre o acordo: “A IAI tem mais de 40 anos de experiência com UAV, principalmente para aplicações militares. Utilizar nossos sistemas para aplicações agrícolas é um bom exemplo de como procuramos comercializar nosso know-how para ampliar nossa oferta ”.

“A IAI oferece a capacidade de combinar tecnologias militares com aplicações comerciais, além da capacidade única da IAI de pilotar UAVs no espaço aéreo civil”, acrescentou. “Saúdo a colaboração com o Santos Lab, que deverá abrir oportunidades adicionais para nós.”

O CEO Gabriel Klabin, do Santos Lab, declarou: “A cooperação entre uma empresa tecnológica como a IAI e a Santos Lab está trazendo para o mercado agrícola brasileiro uma ferramenta capaz de mudar as formas essenciais de monitorar o desenvolvimento agrícola”.

“Esse sistema permitirá que os agricultores tomem decisões conscientes sobre como administrar melhor suas lavouras da maneira mais eficiente, introduzindo agricultura de precisão em grande escala industrial nos campos brasileiros”, observou ele. “O uso dessa tecnologia pode impactar positivamente todo o ciclo de produção e consumo de alimentos, permitindo até que as pessoas comam a custos melhores, e isso é apenas o começo.”

A IAI acredita que o acordo acabará valendo centenas de milhões de dólares.

Fonte: WIN

Por Benjamin Kerstein

Facebook Comments


Compartilhe
Close