EUA E CHINA ASSINAM ACORDO PARA MELHORAR COMUNICAÇÃO ENTRE MILITARES DOS DOIS PAÍSES

BEIJING, 15 de agosto de 2017 – Os principais líderes militares dos Estados Unidos e da China assinaram um acordo hoje, que segundo eles, irá melhorar a comunicação entre seus militares e reduzirá as chances de erros de interpretação.

O General Joe Dunford do Corpo de Fuzileiros Navais e Chefe do Estado-Maior Conjunto e o general Fang Fenghui do exército chinês (chefe da equipe conjunta da China), assinaram o mecanismo de diálogo estratégico conjunto na sede do Ba Yi, do exército popular da libertação. Dunford está visitando a China para fortalecer os laços militares entre as duas potências do Pacífico .

Mitigação de crise

O acordo destina-se a suavizar a crise, disseram funcionários do Estado-Maior dos Estados Unidos, observando que a comunicação direta no nível de três estrelas no Pentágono e Ba Yi nos permitirá reduzir o risco de erros de interpretação”. O general de exército Richard D. Clarke , diretor do Joint Staff para planos e políticas estratégicas, liderará o esforço americano. A primeira reunião para configurar a estrutura está marcada para novembro.

Essas comunicações são especialmente cruciais, já que a região e o mundo enfrentam os perigos de um confronto com armas nucleares, disseram autoridades.

O mecanismo de diálogo estratégico conjunto surgiu das conversas diplomáticas e de segurança em Washington no início deste ano. Essas conversas surgiram de uma reunião na Flórida entre o presidente Donald J. Trump e o presidente chinês, Xi Jinping, em abril.

Problemas difíceis

O mecanismo é um resultado concreto das discussões ao nível militar em que o presidente está envolvido. Dunford passará três dias na China e visitará o treinamento das unidades da PLA, disse Fang.

“Para ser honesto, temos muitas questões difíceis em que não teremos necessariamente as mesmas perspectivas”, disse Dunford na abertura das negociações entre militares. “Mas da reunião que tivemos em Washington, DC, e a reunião que acabamos de ter, demostra que: compartilhamos um compromisso para trabalhar essas dificuldades. Com a orientação de nossos presidentes e as áreas de nossa cooperação, sabemos que haverá progressos nos próximos dias “.

Necessidade de cuidados

“Mas os dois países devem fazer progressos tangíveis”, disse o presidente. Eu acho que nosso desafio coletivo é: sinceramente se cuidadosos ao abordar essas questões, concluiu.”

Os contatos a nível militar entre os Estados Unidos e a China são importantes porque sempre haverá algum atrito entre os dois países, disse Dunford, acrescentando que os contatos militares diminuirão as chances de mal entendidos.

O presidente sublinhou que diminuir os “erros de interpretação ao mínimo” para contatos entre militares. “Também devemos tentar ver áreas para cooperar”, disse ele.

Fonte: Departamento de Defesa dos EUA

Jim Garamone

Você pode gostar...