RÚSSIA NÃO DESISTIU DE VENDER PANTSIR AO BRASIL, MAS JÁ ADMITE POSSÍVEL DERROTA PARA CONCORRENTE EUROPEU

 

Em entrevista a TASS, o CEO da Rostec, Sergey Chemezov falou sobre diversos assuntos e entre eles sobre a possibilidade de venda ao Brasil do Pantsir. Não pareceu que os russos jogaram a toalha, mas agora, já admitem uma possível derrota para um concorrente europeu.

– Você tem falado sobre o contrato no sistema de defesa aérea Pantsir-S1 com o Brasil. Em que fase se encontra?

– Existe certo interesse dos brasileiros. Enviaram especialistas até nós para ver todos os ensaios e depois avaliar. Aparentemente, [eles enviaram] não só para o nosso país, estão escolhendo quem possa oferecer-lhes melhor hardware a um preço mais baixo. Este é o direito deles. Nós estamos aguardando.

Como já informamos aqui, o lobby da sueca SAAB é muito forte no Brasil. O fato deve-se, logicamente, pela adoção do caça “Gripen E” pela FAB e também a boa avaliação que o Exército Brasileiro faz do RBS-70, que estão no inventário dos seus diversos grupos de defesa antiaérea. E isso é um mérito incontestável da SAAB.

Perguntado se o ataque dos EUA contra a base aérea de Al-Shayrat na Síria, quando mísseis Tomahawk destruíram algumas aeronaves da síria, afetou a reputação dos sistemas de defesa antiaéreos russos, Chemezov respondeu:

– Não ativamos nossos complexos de defesa aérea e não tentamos derrubar mísseis. É por isso que os americanos agiram com tanta calma porque sabiam que não responderíamos. Mas este foi um caso no passado …

Por Graan Barros

Você pode gostar...