ESQUERDA OU DIREITA? NÃO! A RESPOSTA É PRAGMATISMO!

Paulatinamente, e pragmaticamente todos os países, inclusive a Rússia aceitarão o agora, empossado oficialmente, presidente Michel Temer. Quando falamos em pragmaticamente, nos referimos as relações comerciais entre os países e que normalmente se sobrepõe ao elemento político-ideológico. Um termômetro dessa aceitação será o encontro do G20 ou das 20 nações mais ricas do mundo.

Temer viajou na noite de ontem para esse encontro com o objetivo de se apresentar oficialmente como presidente do Brasil e buscar novos negócios para o Brasil, principalmente com a China e com a Rússia. Esses dois países formam  juntamente com o Brasil, a Índia e a África do Sul um bloco que ficou conhecido pela sigla BRICS.

Os resultados do encontro do G20, dada a sua importância, acabará por influenciar os governos do Mercosul. Bolívia, Venezuela e Equador devem com maior ou menor intensidade adotar a mesma posição da Rússia ou da China, pois são muito ligados economicamente e politicamente a eles.

A posição ideológica, entretanto, é apenas um elemento que une os países do Mercosul, pois economicamente, podemos dividi-los em dois lados: os bem-sucedidos e os mal sucedidos. Algo bem diferente do que é feito pela mídia brasileira:

Há bem sucedidos governados pela Direita, como a Colômbia e bem sucedidos governados pela esquerda, como o Equador, Chile e destacadamente, Bolívia, que têm uma economia estável. Para o leitor ter uma ideia, a Bolívia de Morales possui uma economia em crescimento constante, basta analisarmos a evolução do PIB:

2006: 4,8    2007: 4,6     2008: 6,1     2009: 3,4     2010: 4,1     2011: 5,2     2012: 5,1     2013: 6,8     2014: 5,5           2015: 4,8      2016: 5,01?

Lembramos que quase 30% do que a Bolívia produz é exportado para o Brasil.

Do outro lado temos os mal sucedidos: A Argentina governada pela Direita pode estar no mesmo caminho desastroso da Venezuela, governada pela Esquerda. Desde que Mauricio Macri assumiu a Argentina o seu governo tem criado um ambiente propício a violentos protestos da população, que está insatisfeita com aumentos de até 2000% nas tarifas públicas e aumento da inflação. Os distúrbios são tão graves, que o presidente Macri chegou a receber pedradas da população enfurecida.

O que entendemos com isso é que o pragmatismo na área econômica acaba se sobrepondo a ideologia, seja ela de esquerda ou de direita e até mesmo os os direito humanos. A busca dos governos pelos bons resultados da balança comercial, o aumento do PIB e o crescimento da Industria são fatores mais “importantes” que a ideologia.

Por Graan Barros

Você pode gostar...