É POSSÍVEL DEFENDER O PRESIDENTE TURCO RECEP TAYYIP ERDOGAN?

Recep Tayyip Erdogan, presidente da Turquia, é um dos líderes mais controversos da atualidade. O lado positivo do seu governo pode ser avaliado quando analisamos a sua atuação na área econômica. Erdogan conseguiu atrair os olhos dos investidores estrangeiros para o seu país, e, principalmente, elevou o poder aquisitivo do seu povo, o que lhe trouxe grande popularidade. Politicamente, reduziu a interferência religiosa (Islâmica), permitindo que houvesse eleições diretas regulares, ampliando assim, a cultura da democracia.

Já o lado negativo de Erdogan, está bastante visível na condução da política externa. Assumiu uma postura agressiva com a Rússia, que culminou, quando ele mesmo autorizou um caça de seu país derrubar uma aeronave russa que atacava posições do Estado Islâmico (EI) na Síria. Erdogan foi acusado, anteriormente, pela mesma Rússia, de negociar petróleo extraído ilegalmente da Síria pelo (EI). O presidente turco também foi responsabilizado por agravar o conflito sírio, quando permitiu que legiões de jihadistas vindos da Arábia Saudita, cruzassem a fronteira de seu país para lutar na Síria.

Internamente, recebeu constantemente denúncias de organismos internacionais por perseguir sistemática a imprensa, inclusive com prisões arbitrárias de jornalistas que não concordam com os rumos de seu governo. Nos últimos tempos foi acusado por envolvimento em diversos casos de corrupção e de favorecimento de amigos e familiares em transações milionárias.

Diante de um histórico tão contraditório como esse, a tarefa de defender o presidente Recep Tayyip Erdogan contra os seus opositores golpistas parece ser uma tarefa quase impossível. Só possível, se olharmos pelas lentes da defesa da democracia. O seu governo foi eleito através do voto direto, ou seja, pela vontade soberana do povo turco. E por isso mesmo, cabe ao povo, no seu devido tempo, retira-lo pelo voto direto!

Por Graan Barros

Você pode gostar...