A FORÇA AÉREA COM O QUE TEMOS HOJE, ESTÁ MUITO BEM.


A força aérea com o que nós temos hoje, a gente está muito bem. Nós conseguimos explorar bem a capacidade das plataformas que nós dispomos.

 
A frase do Tenente-Coronel Ricardo Guerra Rezende, comandante de um dos principais Esquadrões de caça brasileiros, pode parecer para muitos equivocada ou mesmo alienada. Pelo contrario! Guerra Rezende assumiu o Esquadrão em 2014, mas deve conhecer bem a história de vitórias alcançadas pelos seus pilotos em exercícios aéreos internacionais de vulto, como a Red Flag 2008.
 
O neófito no assunto também pode achar que aeronaves de geração superiores como o FA-18 Super Hornets são simplesmente imbatíveis e derrotarão os nossos F-5 Mikes como se fossem moscas. Mas se fosse tão simples assim, na Red Flag de de 2008, que citei anteriormente, os mesmos F-5M teriam sido derrotados. A história foi bem outra… Do outro lado estavam os norte-americanos com seus excelentes F-15 C/D e F-16CG caças que estão presentes até os dias de hoje, e como os nossos F-5M receberam modernizações. E o score foi bastante favorável aos nossos pilotos e caças. 

Treinamentos no exterior
 


A ida de nossos pilotos a República Tcheca para treinar em simuladores também demonstra a preocupação da FAB em deixar os nossos pilotos inteirados das táticas atuais, principalmente no combate em arenas BVR, que é o estado da arte no combate aéreo do século XXI. Aqui no Brasil, também têm sido feitos diversos exercícios com a extensão “BVR” no nome. Ver, Exercício Operacional BVR-1, realizado na Base Aérea de Anápolis (BAAN), Exercício BVR/2 Sabre, etc.


O Futuro

 

Se os resultados têm se demostrado positivos com o vetor atual, certamente se multiplicará com o futuro Gripen E, mais conhecido pelo nome do projeto/ demostrador “NG”. A previsão de entrega das primeiras aeronaves se dará muito provavelmente em 2019. O nosso Gripen “E” será equipado com um Radar de Varredura Eletrônica Ativa (AESA) com alcance muito superior ao que temos atualmente. Será a nossa segunda aeronave a dispor de um radar desse tipo. A primeira foi o P-95M, mas com um radar feito para localizar alvos de superfície.

Veja o vídeo da FAB sobre a participação na Operação UNITAS 56/2015

 



À la chasse!

 
Por Graan Barros

Você pode gostar...