SAAB NÃO VÊ PERSPECTIVA DE VENDA DO GRIPEN NG PARA A ARGENTINA

Mockup do Gripen E (NG) na LAAD 2015

(Reuters) – A sueca SAAB descartou nesta segunda-feira (ontem) facilitar a venda de aviões de caça Gripen para a Argentina como o resultado de um acordo para construir e jatos de combate de exportação a partir do Brasil.

 
A Argentina tem expressado interesse em comprar 24 caças Gripen de seu vizinho latino-americano, assim que o Brasil for capaz de exportá-los, o que aconteceria no início da próxima década.
 
Tal acordo teria de enfrentar um provável veto da Grã-Bretanha, que fornece cerca de 30 por cento do conteúdo do Gripen, incluindo o radar AESA de última geração do caça Gripen E / F (NG).
 
A Saab disse que não estava envolvida em todas as discussões envolvendo a Argentina.
 
“Ninguém nos pediu autorização e por isso mesmo não estamos considerando essa possibilidade”, disse um porta-voz durante uma coletiva de imprensa.
 
As relações entre a Grã-Bretanha e Argentina continuam tensas desde a guerra acontecida há 33 anos onde foram disputadas as “Falklands”, conhecidas como “Malvinas” pela Argentina.
 
No ano passado, funcionários da defesa brasileira previram uma maior demanda por aviões Saab Gripen, incluindo para a Argentina.
 
A Saab vendeu 60 Gripens E para a Suécia e está finalizando uma encomenda de outros 36 para o Brasil, que também será co-desenvolver de uma versão de dois lugares do Saab Gripen designado F.
 
A Embraer disse que espera elaborar um plano com a Saab até Junho para exportar o Gripen fabricado no Brasil já a partir de 2023.
 
O chefe da divisão de aeronáutica da Saab, Ulf Nilsson, disse que o programa de desenvolvimento do Gripen E estava no caminho certo, mas ele se recusou a divulgar detalhes da produção.
 
A Saab também disse que estava confiante sobre planos com a Boeing para tentar vender os recém-concebidos jatos de treinamento TX para os Estados Unidos. Mas em uma série de briefings, os funcionários da Saab se recusaram a discutir qualquer coisa sobre o design da aeronave, que permanece rigorosamente em segredo.
 
A parceria Saab e Boeing esta preparada para enfrentar as concorrentes: Northrop Grumman Corp, Lockheed Martin Corp e Korea Aerospace Industries, e uma aliança entre a General Dynamics Corp e a Alenia Aermacchi da Itália.
 
Tal como acontece com o Brasil a Saab está olhando para potenciais exportações se o treinador ganhar a concorrência.
 
Fonte: Reuters
Reportagem: Tim Hefer , Edição: Brad Haynes e Andre Grenon
Texto adaptado
Facebook Comments


Compartilhe
Close