SISFRON: EXÉRCITO RECEBE EMBARCAÇÃO PARA LOGÍSTICA EM FORTE COIMBRA

 

Corumbá (MS)- No projeto do SISFRON desde 2014 a embarcação “ Forte de Coimbra” foi entregue ao Exército nesta terça-feira,11 de Março, durante solenidade com presença do general Gerson Forini , gerente do projeto SISFRON, sediado no escritório do Exército em Brasília, do general Juares de Paula Cunha, Comandante Militar do Oeste, e do general da 18ª Brigada de Infantaria Ricardo Franco Pedro Paulo de Melo Braga. A embarcação orçada em R$ 1, 3 mi servirá para apoio logístico às atividades das forças destacadas em Forte Coimbra. Tem capacidade para 60 pessoas sentadas, oito tripulantes, dois caminhões e 200 litros de combustível.
 
O projeto tem o objetivo de combater ilícitos transnacionais, sensoriamento, de apoio à decisão e de emprego operacional cujo propósito é fortalecer a presença e a capacidade de ação do Estado na faixa de fronteira , “ será sendo implantado em todo território nacional e já está em fase experimental , o projeto piloto, em Dourados (MS) para colocarmos em prática em Corumbá a partir de 2016 e posteriormente na Amazonia” , disse o general Forini ao Capital do Pantanal explicando que esta região de Fronteira será a segunda do Brasil a receber todo o aparato militar necessário para combate ao crime, “o projeto inicial do Sisfron havia orçado em R$1 bilhão e foi cortado pelo governo federal em R$ 250 milhões para cobrir 17 mil km de Fronteira das 18 Brigadas em todo Brasil”.
 
Com corte no orçamento o projeto caminha com dificuldade mas priorizando atender as regiões mais complexas como a Fronteira com o Paraguai e do Brasil com a Bolívia onde há avanço criminal considerado, “trabalhamos pautados em três vertentes: Sensoriamento e apoio nas decisões de caráter tecnológico; Infraestrutura que vai construir bases de pelotões fronteiriços e apoio as operações das tropas com o aparelhamento militar” , explicou Forini. O general da 18ª Brigada de Infantaria de Fronteira Ricardo Franco lembrou que em 2014 a base recebeu mais duas embarcações equipadas com guarnição de seis militares, duas metralhadoras 7,65mm, uma metralhadora .50 com lançador de granada na popa para defesa ante aérea e perfurar embarcações, “ somente aqui em Forte de Coimbra temos 250 militares e mais a população ribeirinha que são 17 famílias as quais fornecemos todo apoio” , disse Braga explicando que a nova embarcação reforça a logística do Exército.
 
SISFRON
 
O SISFRON foi concebido por iniciativa do Comando do Exército, em decorrência da aprovação da Estratégia Nacional de Defesa, em 2008, que orienta a organização das Forças Armadas sob a égide do trinômio monitoramento/controle, mobilidade e presença. O sistema enfatiza o adensamento de Unidades das Forças Armadas nas fronteiras e impulsiona a capacitação da indústria nacional para a conquista da autonomia em tecnologias indispensáveis à defesa.
 
Para o Exército, o SISFRON deverá, além de incrementar a capacidade de monitorar as áreas de fronteira, assegurar o fluxo contínuo e seguro de dados entre diversos escalões da Força Terrestre, produzir informações confiáveis e oportunas para a tomada de decisões, bem como atuar prontamente em ações de defesa ou contra delitos transfronteiriços e ambientais, em cumprimento aos dispositivos constitucionais e legais que regem o assunto, em operações isoladas ou em conjunto com as outras Forças Armadas ou, ainda, em operações interagências, com outros órgãos governamentais.
 
Os meios de sensoriamento do SISFRON estarão desdobrados ao longo dos 16.886 quilômetros da faixa de fronteira, monitorando uma área de aproximadamente 27% do território nacional, o que potencializará o emprego das organizações subordinadas aos Comandos Militares da Amazônia, do Oeste e do Sul. Além de servir de instrumento para a integração da atuação dos vários escalões de emprego da Força Terrestre, desde patrulhas e postos de controle na faixa de fronteira, passando pelos batalhões, brigadas, divisões, Comandos Militares de Área e chegando ao Comando de Operações Terrestres (COTER), em Brasília, o SISFRON terá condições de compartilhar os benefícios de seus produtos e serviços com outros órgãos governamentais em todos os níveis. Nesse sentido, o SISFRON também atende às orientações estratégicas do Plano Estratégico de Fronteiras, estabelecido pelo Governo Federal em 2011, particularmente no que diz respeito à implementação de projetos estruturantes para o fortalecimento da presença estatal na região de fronteira e à atuação integrada dos órgãos de segurança pública e das Forças Armadas, bem como de outras agências governamentais.
 
Fonte: Capital do Pantanal, via EB
Facebook Comments


Compartilhe
Close