COTER COORDENA A REALIZAÇÃO DE EXERCÍCIO COM INTEGRAÇÃO DE SIMULAÇÃO VIVA, VIRTUAL E CONSTRUTIVA

CLICK_TO_ENLARGE 9.jpg
CLICK_TO_ENLARGE 9.jpg

O COTER realizou no período de 15 a 26 de setembro o primeiro exercício com integração de simuladores do Exército Brasileiro, denominado Operação POTYGUARA. O exercício teve a duração de duas semanas. A primeira semana foi dedicada à realização de tiro real com carros de combate e do tiro de combate avançado com os grupos de combate e de engenharia participantes, além revisão de instruções técnicas e de maneabilidade com as frações, como preparação para o adestramento e avaliação na segunda semana.

O exercício teve início com a transporte dos meios para Rosário do Sul, inclusive com o transporte ferroviário dos M113 de Curitiba até Cacequi, além do deslocamento do CAADEx e da FT 5º RCC, com cerca de 300 militares, para a região de exercício. A desmobilização e retorno dos militares foi outra operação logística realizada com sucesso após o exercício.
 
A integração de simuladores permitiu que diversos escalões fossem adestrados durante o mesmo exercício, propiciando um maior realismo aos participantes, principalmente para o Cmdo e EM da FT, que precisou coordenar o movimento das duas FT (da simulação viva e da virtual) com as ações de apoio de fogo na simulação construtiva.
 
O exercício foi prestigiado pela visita da Escola de Comando e Estado Maior da Republica Oriental do Uruguai e pelas presenças do Gen Mourão, Cmt Mil Sul, Gen Carbonnel, Cmt 5ª DE, Gen Soares, Cmt 5ª Bda C Bld e Gen José Eduardo, 1º Subchefe do COTER que acompanharam a manobra de FT (simulação viva) em Saícã, além da APA realizada pelo CAADEx sobre o exercício. Nessa ocasião, foram apresentadas pelo COTER as possibilidades, vantagens e obstáculos do exercício com integração de simuladores.
 
A evolução do uso de simuladores no preparo da Força Terrestre é fator primordial para a prontidão e capacitação do Exército Brasileiro, empregando de forma consciente os recursos existentes, preservando o meio ambiente e minimizando os riscos envolvidos em uma situação real.
 
Fonte: EB

Você pode gostar...